Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

30/05/2008 - cidadeverde.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Acusado de aplicar golpes na Internet e faturar R$ 200 mil é preso no Piauí

Por: Gerson Resende e Fábio Lima


Foi preso no 3º Distrito Policial (Vermelha - zona sul) Aurélio Adriano Costa do Nascimento, 28 anos. Com mandado de prisão em aberto na Justiça do Maranhão, ele foi detido por falsidade ideológica em Teresina, depois de usar outra identidade para se hospedar em hotel da cidade. Em São Luís/MA, Aurélio é acusado de estelionato, por receber pela venda de produtos na internet e não entregar os mesmos aos clientes.

Em Teresina, Aurélio usou o nome de Adriano Costa Amorim para se hospedar em um hotel da zona sul, onde foi preso na noite da última quarta-feira (28). Na delegacia, constatou-se que ele tinha mandado de prisão em aberto, expedido por Ana Célia Santana, juíza de direito da 3ª Vara Criminal de São Luís, pela acusação de estelionato. "A pessoa pagava pensando que estava comprando um notebook, mas no entanto a mercadoria era fictícia", explicou o delegado José Gonçalves, titular do 3º DP.

Aurélio Adriano teria várias contas bancárias em seu nome, em diversas instituições, e com outras identidades. Apenas em um levantamento inicial feito pela polícia, a fraude na venda de produtos na Internet em todo o país chegaria a R$ 200 mil.

A versão do advogado de defesa é diferente. Segundo Paulo Roberto Lopes Maia, Aurélio Adriano se hospedou em um hotel da cidade com um nome que era seu, mas sem o sobrenome do pai, com quem teria tido problemas de relacionamento. Ele veio de São Luís com uma mulher com a qual queria se casar, idéia rejeitada pela família. "O que efetivamente pesa contra o Aurélio no Piauí é um crime muito pequeno. Porém, não deixa de ser um delito", explicou.

Sobre a acusação de estelionato, Paulo Maia disse que o cliente alega ter tido um descuido em uma relação comercial. "Ele comprava e vendia produtos na Internet, e deixou de atender a venda de um celular. Foi movida a ação e ele responde normalmente. A prisão foi decretada porque ele faltou a uma das audiências", concluiu o advogado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 195 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal