Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

22/05/2008 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF descobriu fraude envolvendo verbas do BNDES


Há cerca de um mês, a Polícia Federal de São Paulo anunciou que investigou, durante a Operação Santa Tereza, um esquema de fraude envolvendo empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para prefeituras.

O suposto esquema foi descoberto durante a operação que tinha por objetivo desintegrar uma organização suspeita de praticar tráfico de mulheres e explorar a prostituição. Segundo a PF, os proprietários ofereciam vantagem a autoridades e servidores.

Por meio de grampos telefônicos e outras provas, a Polícia Federal descobriu conversas entre os investigados sobre financiamentos públicos, reuniões com políticos e pagamentos de propina.

A PF diz ter provas de que pelo menos dois financiamentos fraudados – um deles de R$ 130 milhões concedido a uma prefeitura do litoral paulista e outro, de cerca de R$ 220 milhões, a uma grande empresa do ramo varejista.

As investigações apontam que cerca de 4% dos valores foram desviados de cada financiamento e os beneficiados com os empréstimos apresentavam notas fiscais falsas.

De acordo com o Ministério Público Federal, mais de dez prefeituras serão investigadas por supostas fraudes ao BNDES.

Na deflagração da operação, diversas pessoas foram presas, entre elas o advogado Ricardo Tosto, que era do Conselho do BNDES, suspeito de tráfico de influência. Tosto pediu afastamento provisório, mas acabou afastado definitivamente do cargo.

Por meio dos grampos telefônicos, a PF também descobriu que o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP), estaria supostamente envolvido no caso. Ele seria beneficiário de partilha de recursos que teriam sido desviados do BNDES. Paulinho disse, porém, que se trata de “armação política”.

O advogado Antonio Rosella, que defende Paulinho, disse que o relatório da PF “é um absurdo”. Segundo Rosella, os autos não contêm “um único indício de ilícito” contra o deputado.

Após o escândalo, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, disse que não há corrupção na instituição. Coutinho destacou que a instituição está colaborando com as investigações da Operação Santa Tereza.

"Estamos colaborando com as investigações da Polícia Federal. Mas quero em primeiro lugar dizer o seguinte: não existem irregularidades dentro do BNDES. Mas, se existem coisas fora do BNDES, elas estão sendo investigadas."

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 202 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal