Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

16/08/2006 - Correio da Manhã Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Futuro da identificação

Por: André Pererira


A empresa portuguesa BeAdvance, pioneira nestas tecnologias, apresentou o Palm Scan e o Palm Secure. Dois sistemas de identificação únicos na Europa, que utilizam a mão como chave para uma qualquer porta, cuja comercialização começa a ser feita em Portugal em Setembro. Os preços variam entre os 1500 e os 2500 euros.

A primeira opção recorre às características visíveis, isto é, à textura, às rugas ou às linhas da mão, enquanto a segunda vai, literalmente, mais a fundo. O Palm Secure cria uma imagem do padrão das veias, através da emissão de uma frequência.

Em ambos os casos, na primeira fotografia da mão, identificam-se pontos característicos únicos que são transformados num código e armazenados numa base de dados.

O CÓDIGO DA MÃO

“Com esse código não é possível recuperar a imagem da palma da mão ou o padrão das veias. Daí a segurança deste sistema”, explica David Fernandes, fundador da BeAdvance.

Por cada identificação basta mostrar a mão à máquina, que repete a fotografia e compara as características recolhidas com as existentes na base de dados. Em segundos.

Nos Estados Unidos, por exemplo, onde os sistemas de vigilância estão bem mais desenvolvidos que na Europa, é possível reconhecer e identificar uma pessoa através do rosto. Nos aeroportos existem câmaras em gravação e, em caso de necessidade, o computador pode identificar o indivíduo.

PICAR O PONTO

À primeira vista está a falar-se de um objecto retirado de um filme de ficção, mas na realidade tem aplicações muito práticas como o simples acto de picar o ponto ou controlar o acesso a áreas restritas. Com esta tecnologia, acabam-se as despesas com cartões estragados ou esquecidos, uma vez que o objecto identificador é a mão de cada um.

“A situação recorrente – nas empresas que utilizam o sistema tradicional, em que um trabalhador pede a um colega que lhe pique o ponto, enquanto vai a algum lado – também termina”, refere David Fernandes.

SEM CONTACTO

Uma das vantagens do Palm Secure e do Palm Scan, em relação aos sistemas de identificação biométricos, é que não existe contacto com o identificador.

“O sistema Palm é mais higiénico e, acima de tudo, mais viável que os outros métodos”, diz o empresário português, explicando: “Na impressão digital, a máquina não me reconhece se me cortar no dedo. Mesmo passado algum tempo, se a cicatrização não for a melhor, passo a ser um desconhecido. Com esta tecnologia, a máquina sabe sempre quem sou.”

Apesar das vantagens e do preço (ver apoios), a identificação através da íris continua a ser o sistema mais seguro entre os que usam a biometria.

POLÉMICA COM DADOS

A criação de uma base de dados, para armazenar a informação de cada utilizador, criou alguma polémica quando, pela primeira vez, se recorreu à biometria. Em causa, diz David Fernandes, “estava o alegado uso de dados pessoais”. A Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) estava renitente em autorizar a utilização dessas tecnologias por considerar que se estavam a guardar informações privadas das pessoas.

Um episódio com a Santa Casa da Misericórdia de Oeiras, que recorreu à BeAdvance para instalar um sistema de ponto de reconhecimento da íris, ajudou a esclarecer a questão. A base de dados guarda códigos correspondentes a vários pontos únicos da íris de cada pessoa. Qualquer empresa que queira recorrer à biometria apenas tem de informar a CNPD do sistema que vai usar.

PORTUGUESES CONFIAM NA IMPRESSÃO

A maioria dos portugueses confia mais na identificação de uma pessoa através das impressões digitais ou leitura da íris do que na tradicional assinatura, indica um estudo europeu. Famosas graças às séries policiais televisivas, as técnicas de biometria são actualmente defendidas pelos europeus como a forma mais “segura e exacta” de reconhecer pessoas, segundo o inquérito realizado em sete países da Europa.

Com cerca de 90 por cento de adesão, portugueses e franceses lideram a tabela dos que acreditam mais numa impressão digital do que numa assinatura. Oito em cada dez europeus acreditam mesmo que seria mais seguro se os cartões de crédito funcionassem com o método da impressão digital em vez do clássico chip ou código.

COMBATER FRAUDE FINANCEIRA

A maioria dos inquiridos no estudo europeu defende que a biometria, actualmente utilizada na identificação criminal e no controlo de acesso a algumas empresas e aeroportos, poderia ser aplicada para “reduzir a fraude financeira” e fazer “baixar o número de roubos de bilhetes de identidade”.

No que toca a garantir a segurança no pagamento de bens e serviços no estrangeiro, os portugueses voltam a destacar-se: 85% considera que a aplicação de diferentes tipos de biometria traz maior confiança. Os franceses lideram a tabela dos europeus que mais aceitam esta tecnologia, já que nove em cada dez respondem positivamente à ideia de usar uma impressão digital para viajar no estrangeiro.

OUTROS DETALHES

PORTUGAL

A biometria existe em Portugal desde 1996. Os sistemas mais utilizados pelas empresas lusas são a impressão digital e a íris. Refira-se que a empresa Portugal Telecom realizou o maior investimento mundial no reconhecimento por íris.

LANÇAMENTO

O Palm Scan e o Palm Secure ainda não estão disponí-veis no mercado português. A BeAdvance e a parceira CDW estimam que as primeiras unidades estarão à venda em Setembro. Só nessa altura os aparelhos serão apresentados ao mercado luso.

PREÇO

Estas duas inovações da BeAdvance serão comercializadas em Portugal com um valor entre os 1500 e os 2500 euros. O método de reconhecimento por íris, que tem custos de manutenção mais elevados, ronda os 5000 euros.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 719 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal