Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/12/2005 - Jornal Diário de Marilia Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Bando acusado de aplicar golpe de R$ 300 mil


Pelo menos quatro pessoas são suspeitas de aplicar um golpe na cidade que pode chegar a R$ 300 mil em pedras preciosas. Ninguém foi preso, mas a Polícia Militar já teria identificado um dos suspeitos de participar do esquema.
O caso aconteceu no sábado, às 16h, e foi registrado somente na Polícia Militar porque as seis vítimas do golpe, todas de fora da cidade, se recusaram a procurar a delegacia para registrar a ocorrência.

Os nomes de dois dos acusados passados pelas vítimas, provavelmente falsos, são idênticos aos nomes usados em um recente golpe aplicado na cidade envolvendo a troca de dólares. Três pessoas foram presas na ocasião.

A Polícia Militar já teria identificado pelo menos um dos acusados no golpe de sábado, mas o nome não foi divulgado. As informações obtidas serão passadas à DIG (Delegacia de Investigações Gerais).

Segundo apurou o Diário, as seis pessoas vieram de cidades como Cotia, Jandira e São Paulo. Uma das vítimas, uma mulher, chegou à cidade de avião.

A reportagem apurou que as vítimas teriam vindo à cidade para vender pedras preciosas, segundo elas, avaliadas em R$ 300 mil. O local do encontro foi um hotel da cidade.

Bandidos chegaram a alugar uma sala para promoverem o encontro. Uma funcionária do hotel não colheu os dados da pessoa que reservou a sala, o que poderia ajudar na apuração.

Durante o encontro, o suposto comprador chegou a se apresentar como uma pessoa com vínculos com o hotel, possivelmente funcionário da parte administrativa. Ele simulou que precisava resolver um assunto dentro da própria empresa e saiu da sala com as pedras preciosas.

O acusado fugiu. As vítimas estranharam a demora e pouco depois descobriram o golpe. Como o caso não foi levado à Polícia Civil, a PM avalia hipótese de as jóias terem sido adquiridas pelas vítimas de maneira ilícita.

O Diário apurou que horas antes do crime, a PM recebeu uma ligação anônima informando que haveria um roubo no mesmo hotel. O local foi cercado. Duas pessoas que estavam numa moto próximo ao local e que possivelmente fariam parte do esquema foram revistadas, porém nada de irregular foi encontrado e por isso foram liberadas.

Após o crime, a polícia passou a suspeitar de que os motoqueiros seriam o “Plano B”, ou seja, se o golpista não tivesse conseguido as jóias no hotel, provavelmente os motoqueiros seriam usados para roubo das pedras preciosas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 514 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal