Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

19/05/2008 - SEGS / DCI Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Seguradoras vêem alta demanda por seguros a executivos

Por: Luciana Bruno


O avanço do mercado de capitais brasileiro e, com isso, a maior necessidade de práticas de governança corporativa, têm contribuído para ampliar a demanda pelos seguros D&O (responsabilidade civil de dirigentes), destinados à proteção de executivos contra ações judiciais impetradas por consumidores, acionistas e fornecedores.
A Chubb ampliou em 15% o número de apólices no último ano e projeta continuidade do avanço em 2008. A SulAmérica também tem expectativas positivas para o produto.

A seguradora Chubb encerrou 2007 com 450 apólices de D&O, aumento de 15% em relação ao ano anterior. A empresa não faz estimativas de crescimento para 2008, mas é otimista. "Começamos a oferecer o produto nos anos 1990. Desde então, a demanda subiu bastante", afirma Leandro Martinez, executivo da área de D&O da seguradora. A apólice paga prejuízos financeiros resultantes de sentença judicial, custos de defesa, além de honorários dos advogados.

Segundo o executivo, mesmo com a alta procura, os prêmios dos seguros de D&O tem caído no último ano após a abertura promovida pelo IRB Brasil-Re, antigo Instituto Brasileiro de Resseguros. "Em julho de 2006, o IRB autorizou que cada uma das seguradoras que operassem D&O utilizasse a sua própria capacidade de resseguro. Gerou competitividade porque cada uma passou a utilizar um critério de subscrição".

Há, no entanto, a chance de os prêmios voltarem a subir nos próximos meses por conta do maior risco às empresas causado pela crise de liquidez internacional, iniciada nos Estados Unidos. "Já existem ações contra executivos envolvidos na crise, o que, após a abertura do mercado brasileiro, pode ter efeito nos prêmios do resseguro e conseqüentemente nos prêmios do D&O, já que grande parte é ressegurado."

Em média, o prêmio varia hoje de 0,3% ao ano a 3% ao ano. Chiara Passos, diretora da área de D&O da SulAmerica, afirma que, com a evolução da legislação brasileira, toda companhia precisa de algum seguro D&O. "Na década passada houve vários problemas de fraude contábil nos EUA. Esses executivos foram responsabilizados criminalmente e muitos deles pagaram do próprio bolso. No Brasil, que é um mercado emergente, é uma cobertura que no futuro toda empresa vai ter".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 201 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal