Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/05/2008 - O Estado de São Paulo / Ag. Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Policiais de SP são indiciados por achaques ao PCC


SÃO PAULO - Os investigadores Augusto Pena e José Roberto Araújo foram indiciados na segunda-feira, 12, em inquérito sob as acusações de seqüestro e concussão - extorsão praticada por funcionário público. Pena e Araújo negaram os crimes, durante o interrogatório realizado na Corregedoria da Polícia Civil. Segundo as investigações realizadas pelos corregedores e pelos promotores do Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco) de Guarulhos, os dois policiais montaram um esquema de escutas telefônicas usadas para achacar a cúpula da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Foi por meio da interceptação de diálogos de Rodrigo Olivatto de Morais, de 28 anos, enteado de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, que os policiais montaram o esquema que levou ao seqüestro da vítima. Rodrigo foi mantido em cativeiro na delegacia por dois dias e pagou R$ 300 mil de resgate. As primeiras provas contra os policiais foram fornecidas por Regina Célia Lemes de Carvalho, ex-mulher de Pena.

Ela entregou 200 CDs com escutas telefônicas mantidas pelo marido, entre elas conversas que Rodrigo manteve com a advogada Maria Cristina Rachado e com um suposto integrante do PCC conhecido como Gaguinho. Nas conversas, fica claro o pedido de dinheiro feito pelos policiais. Além disso, os promotores conseguiram que dois policiais civis, uma advogada e um informante de Pena confirmassem a extorsão em depoimento. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Pena acusou todas as testemunhas que foram ouvidas pelo Gaerco. Disse que elas é que tinham relação com a facção.

As investigações do caso dos achaques devem prosseguir por meio de outros inquéritos. Um deles vai investigar o furto de uma carga de PlayStation apreendida pela Delegacia de Estelionato do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). A carga estava guardada no depósito do Deic quando desapareceu, em 2007. Segundo a ex-mulher de Pena, o investigador foi o responsável pelo furto da carga. Regina Célia acusou ainda o ex-secretário-adjunto da Segurança, Lauro Malheiros Neto, de receber dinheiro de Pena - ele nega e disse que está processando a testemunha.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 266 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal