Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

02/05/2008 - Jornal O Progresso Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Para Gino, área quilombola é fraude

Por: Marcos Santos


DOURADOS - O presidente do Sindicato Rural de Dourados, Gino José Ferreira, se reuniu anteontem com os produtores rurais da região da Picadinha que correm o risco de perder suas propriedades para um grupo que se intitula remanescente de quilombo. O líder ruralista foi enfático ao afirmar que a área quilombola apontada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Picadinha não passa de uma grande fraude, a exemplo de outras manobras que estão ocorrendo em todo o Brasil e que, aos poucos, vêm sendo desmascaradas pela imprensa e pela Justiça.
"Desde que a polêmica sobre a existência de uma área remanescente do quilombo em Dourados ganhou o noticiário, tenho me perguntado como pode esta cidade, mais precisamente a região da Picadinha, ter sido habitada por escravos se ninguém, nem mesmo os pioneiros deste município, testemunhou ou, pelo menos, ouviu falar da existência do tal quilombo?", questiona Gino. "Para tentar entender esta questão vamos nos ater aos fatos históricos: durante todo século 19 e parte do século 20, esta região que hoje abriga a cidade de Dourados teve como principal base econômica o extrativismo da erva-mate, atividade que durante décadas foi explorada pela Companhia Mate Laranjeira, que por manter relações comerciais com a Inglaterra era proibida de explorar mão de obra escrava", analisa o ruralista.
Ele enfatiza que pressionado pela coroa inglesa, o governo brasileiro decretou em 1850 a extinção do tráfico negreiro, dando o primeiro passo para o fim da escravidão no Brasil. "Acompanhando a tendência que se firmava na região Sul do país, que desde 1870 passou a empregar assalariados brasileiros e imigrantes estrangeiros no lugar dos escravos, os demais Estados também limitaram o uso de mão-de-obra escrava", conta Gino. O ruralista relata que em 28 de setembro de 1871, um ano após o fim da Guerra da Tríplice Aliança que havia começado em 1864 e que atingiu diretamente a região de Dourados, foi declarada a Lei do Ventre-Livre, que tornava livre os filhos de escravos que nascessem a partir de sua promulgação. Catorze anos depois, em 1885, foi aprovada a lei Saraiva-Cotegipe ou Lei dos Sexagenários, que dava liberdade aos negros com mais de 65 anos de idade.
A defesa dos produtores rurais da Picadinha é feita por Gino Ferreira com base em fatos históricos. "Ora, se no dia 13 de maio de 1888 a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, que abolia de vez a escravidão no Brasil, fica claro que antes da Guerra do Paraguai a região não concentrava qualquer quilombo e que os escravos não teriam tempo de organizar uma comunidade entre o fim da guerra, em 1870 e a abolição da escravidão, em 1888", explica o ruralista.
Para Gino Ferreira, pode estar ocorrendo em Dourados a mesma fraude verificada no processo de reconhecimento de uma área quilombola, no Estado da Bahia, onde um grupo de afro-brasileiros forjou uma situação quilombola para tentar tomar posse da terra que era legitimamente titulada. "Quem garante que o processo número 54290.000373/2005-12, aberto pelo Incra para averiguar se a região da Picadinha é remanescente dos quilombolas também não é uma fraude?", questiona Gino.
O presidente do Sindicato Rural promete ir às últimas conseqüências para defender o produtor. "Estão querendo tirar a terra que tem, inclusive, o título de propriedade, de gente trabalhadora que conquistou com esforço e muito suor tudo o que tem na vida; gente que transformou aquele pedaço de terra em um dos mais produtivos da região; gente que tem identidade e vocação para cultivar e tirar o melhor que a terra pode oferecer para alimentar, para crescer e para trazer desenvolvimento", desabada Gino.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 337 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal