Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

16/04/2008 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Bancada do PSDB da Assembléia de SP quer ouvir envolvidos no caso Bancoop


O líder do PSDB na Assembléia Legislativa de São Paulo, deputado Samuel Moreira, protocolou nesta quarta-feira requerimento convidando o presidente da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo), João Vaccari Neto, a prestar esclarecimentos na Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor da Casa. O tucano quer que Vaccari fale sobre supostas fraudes praticadas contra cerca de 3.000 mil mutuários da entidade.

No requerimento, o deputado pede que também sejam convidados o promotor de Justiça José Carlos Blat e o representante dos mutuários, o advogado Valter Picazio Júnior.

O Ministério Público de São Paulo investiga suposto uso político da Bancoop para beneficiar o PT nas eleições de 2002 e 2004. Os cooperados argumentam que estão sendo pressionados a cobrir um rombo financeiro na cooperativa de aproximadamente R$ 100 milhões.

O promotor José Carlos Blat disse que os dirigentes da cooperativa teriam criado empresas fantasmas que prestavam serviços superfaturados e faziam doações não contabilizadas ao PT. Para Blat, há indícios de caixa dois, uma vez que os recursos repassados ao partido não constam dos registrados da Justiça Eleitoral.

O PT e a Bancoop negam as suspeitas levantadas pela Promotoria. O presidente do PT, Ricardo Berzoini, disse na ocasião da denúncia que o PT não tem conhecimento das supostas doações da Bancoop. Já a cooperativa argumenta que não houve contribuição à campanhas políticas.

O Ministério Público investiga os supostos desvios de recursos da Bancoop desde junho do ano passado, mas somente em março deste ano descobriu a relação política da Bancoop com o PT por meio do depoimento de um empreiteiro que prestava serviços à cooperativa.

No depoimento, a testemunha comprovou por meio de notas fiscais que prestava serviços superfaturados e, ao descontar o cheque referente aos pagamentos, depositava parte do valor na conta de pessoas ligadas à cooperativa.

Procurado pela reportagem nesta quarta-feira, o advogado da Bancoop, Luiz Flávio Borges D'Urso, preferiu não comentar a iniciativa do deputado de convidar o presidente da cooperativa, pois ainda vai analisar o requerimento.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 246 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal