Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS



Promoção BLACK WEEK. Até o dia 02/12 valor promocional para o Treinamento sobre Fraudes Crédito e Comércio ! CLIQUE AQUI.


Acompanhe nosso Twitter

14/04/2008 - Gazeta Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude em táxis: oito meses após denúncia, nada foi feito

Por: Maurílio Mendonça


Oito meses depois de A GAZETA denunciar que 20 veículos rodavam pela Grande Vitória como táxis ilegais, utilizando placas de veículo de aluguel, mas sem autorização municipal para trabalhar, nada foi feito pelos órgãos responsáveis. Pelo contrário: dois deles foram premiados pela Prefeitura de Viana com a legalização, enquanto um, da Serra, conseguiu trocar os documentos no Detran sem ser penalizado, saindo de carro de aluguel para de passeio.

O veículo, o Vectra branco MPR 8889, da Serra, que há oito meses foi flagrado pela reportagem fazendo ponto no Shopping Vitória, estava no mesmo local na noite da última quinta-feira, à espera de passageiros.

O fato de atuar fora de seu município de origem já seria motivo para punição, mas a ilegalidade é ainda mais grave.

Em agosto de 2007 ele estava registrado no Detran como carro de aluguel, mas no cadastro da Prefeitura da Serra constava como carro de passeio. Como não são oficialmente táxis, esses veículos rodam sem passar pelas fiscalizações e regras a que são submetidos os motoristas profissionais nos municípios.

Sem explicação

O Detran garante que o dono do carro trocou os documentos no órgão, após a denúncia, mas não explica porque não aplicou nenhuma penalidade. A prefeitura da Serra não soube informar se concedeu ao proprietário do carro a autorização para atuar como taxista.

O dono do veículo, que deveria responder pelo crime de fraude de documentação, ainda não foi denunciado pelo Detran à Polícia Civil. "Devo encaminhar todos os documentos dessa investigação de uma vez só à Polícia", justifica a corregedora do Detran, Ana Calegari.

Meses após a denúncia, ela ainda aguarda as respostas do município de Cariacica para encerrar as investigações. A prefeitura prometeu, segundo assessoria de imprensa do Detran, entregar os dados nesta semana.

Desplacamento

Outro carro da Serra, placas MQD 0557, teria dado entrada no Departamento de Táxi do município com um pedido de desplacamento, deixando de ser de aluguel. A informação é do município. Mas o órgão estadual garante que ele permanece como táxi em seus registros e que a própria prefeitura confirmou esse dado, em ofício. "Eu tenho documento e posso provar", disse Ana.

Enquanto a Prefeitura da Serra e o Detran se contradizem, Viana confirma ter oferecido a permissão legal de duas placas, MQS 8026 e MSL 1301, a taxistas antes ilegais, sem, ao menos, puni-los.

"Isso foi feito um mês depois da matéria, em setembro. Recadastramos todos os táxis e vimos que surgiram algumas vagas, que foram ocupadas por outros profissionais que acionamos, entre eles esses dois específicos", disse o secretário de obras públicas Luís Melo, na época secretário de serviços urbanos.

Carros de Vitória em desvantagem

Enquanto a proposta de um táxi metropolitano padronizado não sai do papel, a disparidade de regras e efetivo de fiscalização nos municípios da Grande Vitória continua deixando em desvantagem os taxistas da Capital.

Uma nova regulamentação da prefeitura de Vitória estabelece que a idade máxima do carro deve ser de cinco anos, além de fixar normas como uniforme para os profissionais, que têm 180 dias para se adaptar.

Além disso, todos os carros terão a mesma cor e devem contar com ar refrigerado. Os profissionais aprovam a mudança na qualidade, mas questionam o que vai impedir que carros de outros municípios, sem o mesmo padrão, atuem em Vitória.

Basta um giro rápido por locais com grande fluxo de pessoas, como shoppings ou bares, para flagrar táxis com placas de outros municípios, principalmente Cariacica e Serra.

A diferença também é flagrante na fiscalização: enquanto Vitória conta com um fiscal para cada dez carros, Cariacica tem três fiscais para cuidar de toda a frota de 573 táxis, uma média de 190 veículos por servidor.

Ajuda da PM

Na Serra, são 120 carros para cada fiscal. Sem efetivo, as prefeituras contam com a ajuda da Polícia Militar, por meio do Batalhão de Trânsito. Nos primeiros 100 dias desses ano foram 156 veículos recolhidos nas ruas da Grande Vitória por transporte público ilegal, incluindo vans, kombis e os táxis.

A multa para quem está ilegal é de R$ 85,13, além de apreensão do veículo. O total pode passar dos R$ 2 mil, com as taxas de reboque e diária no depósito da prefeitura.

Taxistas reclamam da concorrência

Valdecir, um taxista de Vitória, prefere manter o sobrenome em sigilo. "A concorrência é alta aqui", explica o motorista. Ele se refere aos clandestinos, alguns com placas frias (sem permissão), outros vindos de cidades vizinhas, todos irregulares.

Ele reclama da concorrência desleal na região do Triângulo das Bermudas, na Praia do Canto. "Até duas semanas atrás o ponto ficava em frente ao Búfalo Branco, agora realocaram a gente para o ponto antigo, em frente ao Banestes", reclama.
Os dois locais ficam na Rua João da Cruz. Segundo Valdecir, a mudança foi suficiente para reduzir o movimento em 50%.

"Quando tem evento nos hotéis nem perdemos tempo aqui. Os clientes não procuram a gente nesse ponto por ficar um pouco mais distante dos bares. Assim os outros taxistas aproveitam e param perto de onde eles estão. É desleal com a gente", comenta.

Taxímetro ligado

Vila Velha

São 555 táxis
A prefeitura alega que não libera mais placas há sete anos e que o número era maior
Há 15 fiscais que atuam em táxi, ônibus e transporte coletivo irregular
37 veículos por fiscal

Vitória

São 356 táxis
O edital para permissão de mais 100 placas sai hoje
São 35 fiscais trabalhando com ônibus, táxis e transportes coletivos irregulares
Média de dez táxis por fiscal

Serra

São 390 veículos
Não tem previsão de aumento o número de placas
São três fiscais para atuar em todo o município. Houve realocação dos antigos e, agora, espera-se contratar mais quatro, pelo menos
Quase 120 veículos por fiscal

Cariacica

Há 573 táxis
Há três anos a prefeitura não permite novas placas
Atua com dois fiscais e um coordenador.
São 191 carros por fiscal

Municípios vão discutir atuação dos ilegais

A idéia de táxi metropolitano ainda não foi descartada. Mas uma legislação que ajude a controlar a situação atual nem começou a ser discutida. Amanhã os secretários Romário de Castro, de Vila Velha, e Alex Mariano, de Vitória, vão se reunir para discutir, dentre outros assuntos, taxistas não respeitando os limites municipais.

"É um problema metropolitano para o qual devemos achar uma solução. A conversa ficou parada por um tempo e agora vamos tentar retomá-la", explicou Romário de Castro, secretário de Serviços Urbanos.

Em Vila Velha são 555 táxis para 15 fiscais. Mas o município alega que há sete anos não permite novas placas na cidade. Enquanto isso, a Capital está abrindo concessão para mais 100 placas.

Serra e Cariacica seguem a mesma linha de Vila Velha: sem previsão para novas placas e há muito tempo sem licitá-las. Na Serra ainda houve vistoria dos veículos nesse verão, e os melhores receberam um adesivo da prefeitura.

Número

156
É o telefone para fazer denúncias sobre irregularidades em táxis de Vitória

Irregulares atuam livremente na Capital

A reportagem de A GAZETA rodou pelas ruas de Vitória na quinta-feira à procura de taxistas realizando pontos em locais proibidos ou veículos de outras cidades procurando por clientes na Capital. Não foi difícil encontrar as duas irregularidades, em dois pontos bem movimentados da cidade: Shopping Vitória e Triângulo das Bermudas, na Praia do Canto.

No primeiro, entre as 19h30 e as 20 horas, seis veículos atuavam de forma irregular, sendo três de fora da cidade. Dois eram de Cariacica. Um outro motorista, com placas de Vitória, também estava no local, embora ali não seja seu ponto. Na Praia do Canto, três deles esperavam às 21h20 pelo final do happy hour: um de Vila Velha, um de Cariacica, e o terceiro de Vitória.

O esquema

Entenda como funciona a fraude de placas de táxi identificadas e divulgadas por A GAZETA em 12 de agosto de 2007

Tipos de fraude

A matéria publicada no ano passado mostrava três tipos de fraude de placa de táxi:

1. O carro é registrado no Detran como de aluguel (táxi), mas não tem a permissão no município para funcionar como tal

2. O carro é registrado no Detran como de passeio, mas circula com placa vermelha fraudada

3. O carro circula com placa fria (falsa)

Quantidade

Foram flagrados 20 veículos com algum tipo de irregularidade, sendo dez na modalidade de fraude de veículo registrado como aluguel atuando como táxi, sem permissão municipal: dois da Serra, dois de Viana e seis de Cariacica

A situação hoje

Segundo o Detran, um dos veículos, da Serra, deixou de ser de aluguel. Na última quinta-feira, ele fazia ponto à noite no Shopping Vitória; o outro não é mais táxi para o município, mas permanece como tal para o Detran

Em Viana, perdão

Os de Viana foram "perdoados" pelo município, que cedeu permissões aos dois fraudadores para atuar como taxistas

Polícia não foi informada

O Detran não encaminhou os documentos desses táxis, após oito meses, à Polícia Civil para investigar possibilidade de fraude em documentos do governo

Cariacica não explica

O órgão estadual ainda espera explicações dos táxis irregulares de Cariacica, seis ao todo, a serem entregues nesta semana

Falsas placas

Sobre as duas outras formas de irregularidade, placa fria e placa vermelha falsa, cabe à polícia investigar.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 451 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal