Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

09/04/2008 - Última Instância Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Decretada prisão temporária de envolvido em fraude de carros de luxo no ES


O Ministério Público Federal no Espírito Santo conseguiu na Justiça a prisão do fiscal da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) Charles Henrique Porto Santos, que acaba de ser preso pela Polícia Federal no município de Guarapari.

É a 24ª decretação de prisão temporária de integrantes da organização criminosa obtida pelo MPF-ES na Justiça Federal, como resultado das investigações da Operação Titanic. O grupo atuava prioritariamente na importação subfaturada de automóveis e mercadorias de alto luxo. Ao todo, foram presas até agora 13 pessoas no Espírito Santo, seis em Rondônia e outras três em São Paulo.

Em depoimento, um dos integrantes da quadrilha confessou que pagava 3 mil reais por cada licença de importação liberada por Charles Henrique Porto Santos. O fiscal atuava na liberação de suplementos alimentares e esteiras, artigos que dependem do aval da Anvisa para entrar no país e que eventualmente também eram importados pela organização criminosa desbaratada pela Operação Titanic.

A Operação Titanic foi realizada na segunda-feira (7/4) pela Polícia Federal, pelo Ministério Público Federal e pela Receita Federal. Entre os crimes cometidos pela organização criminosa estão corrupção de servidores públicos, contabilidade fictícia, inserção de informações falsas em contratos de câmbio com vistas a promover evasão de divisas, descaminho, lavagem de bens e capitais, tráfico de influência, falsidade ideológica e formação de quadrilha.

O esquema contava com a participação de empresários brasileiros e estrangeiros, contadores, políticos, servidores públicos, advogados e corretores de câmbio.Só no último ano, a sonegação fiscal praticada pela organização criminosa resultou em um prejuízo aos cofres públicos de pelo menos 7 milhões de reais.

Capitaneada pelo empresário capixaba Adriano Mariano Scopel, proprietário da empresa Tag Importação e Exportação de Veículos Ltda, uma das maiores importadoras de veículos de alto luxo do país, a quadrilha utilizava o Terminal Portuário de Peiú, um dos mais importantes da Região Metropolitana de Vitória, como pátio de negócios. O detentor da exploração da concessão do terminal de Peiú é o pai de Adriano, o empresário Pedro Scopel, sócio do filho na Tag Importação e Exportação.

Para escapar da fiscalização estatal, a quadrilha conseguiu montar em torno de si uma espécie de escudo graças à concessão de vantagens ilícitas a servidores públicos, entre eles o servidor da Anvisa preso hoje. Também estão presos dois outros servidores públicos, os auditores fiscais Max Pimentel de Almeida Marçal, do Espírito Santo, e Edcarlos Tiburcio Pinheiro, de Rondônia.

Para o MPF/ES, a decretação da prisão temporária dos principais integrantes da quadrilha é fundamental para a completa elucidação dos fatos. A prisão temporária tem duração de cinco dias e serve principalmente para a oitiva dos investigados e para evitar qualquer movimentação que tumultue a coleta de provas.

As investigações da Operação Titanic tiveram início em janeiro de 2007 na Receita Federal inicialmente para apurar notícias quanto ao registro irregular de embarcações junto à Capitania dos Portos do Estado do Espírito Santo. O aprofundamento das investigações, entretanto, acabou revelando indícios da prática de diversos outros crimes, especialmente em relação à importação subfaturada de veículos e bens de alto luxo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 287 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal