Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/07/2006 - Correio Braziliense / AFP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

FBI prende suspeitos de roubar segredos da Coca-Cola e tentar vendê-los à Pepsi


Um assistente administrativo da gigante das bebidas Coca-Cola e mais duas pessoas foram presas nesta quinta-feira nos EUA pelo FBI sob acusação de roubar documentos confidenciais e uma amostra secreta de um novo produto que teriam tentado vender à rival Pepsi.

A Pepsi informou a Coca-Cola sobre o esquema, que foi revelado depois que um agente do FBI sob disfarce pagou US$ 30 mil, transportados em uma caixa de biscoitos, a um dos suspeitos, segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira pelo escritório da promotoria no Estado da Georgia (sul dos EUA). Os suspeitos, Ibrahim Dimson (30), Edmund Duhaney (43), e Joya Williams (41), devem ser levados diante de um juiz federal na cidade de Atlanta (capital do Estado) amanhã (7).

Segundo o promotor do Estado, David Nahmias, "o roubo de segredos comerciais valiosos não será tolerado, nem pelo Departamento de Justiça nem pelos concorrentes, como esse caso mostrou".

No dia 19 de maio, a Pepsi remeteu à sede da Coca-Cola, em Atlanta, uma cópia de uma carta que recebeu em um envelope timbrado da Coca-Cola. O remetente - que, segundo o FBI, foi Ibrahim Dimson - se identificou como "Dirk". Na carta, Dimson afirmou ser um funcionário de alto escalão da Coca-Cola e oferecia "informações confidenciais e bastante detalhadas".

A Coca-Cola informou o FBI em seguida. A assistente administrativa da empresa Joya Williams foi identificada, através de gravações telefônicas, como a fonte da informação de Dimson: ela também foi filmada no sistema de segurança da Coca-Cola vasculhando arquivos e colocando documentos em sacolas.

Williams foi vista ainda nas fitas da segurança colocando em sua bolsa um frasco, com um rótulo branco e que correspondia à descrição do frasco de um novo produto que vem sendo desenvolvido pela empresa - a Coca-Cola verificou que o produto dentro do frasco era de fato uma amostra do novo produto.

No dia 16 de junho, o agente do FBI pagou US$ 30 mil, escondidos em uma caixa de biscoitos, pelos documentos passados por Dimson. Nesse mesmo dia, ele manteve contato com Williams e com Edmund Duhaney, segundo gravações telefônicas. Duhaney abriu uma conta conjunta com Dimson para receber US$ 1,5 milhão prometidos pelo agente para ficar com o restante dos documentos confidenciais.

Em um memorando, o presidente e executivo-chefe da Coca-Cola, Neville Isdell, disse que "embora essa falha de confiança seja difícil de aceitar, ela ressalta a responsabilidade que cada um têm de ser vigilante na proteção de nossos segredos comerciais". Ele determinou também uma revisão nas políticas de proteção de informações.

O porta-voz da Coca-Cola, Ben Deutsch, informou que entre as informações roubadas não estava a fórmula do produto principal da empresa, o refrigerante Coca-Cola, trancada em um cofre em um banco em Atlanta. "A fórmula secreta não correu e não corre risco", afirmou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 457 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal