Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

02/04/2008 - O Globo Online / Reuters Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Escândalo sobre fraude em registro eleitoral envolve Sarkozy

Por: Crispian Balmer


PARIS (Reuters) - O presidente da França, Nicolas Sarkozy, viu-se sob pressão na quarta-feira depois de um jornal ter afirmado que assessores dele falsificaram seu registro de eleitor para permitir que votasse nas eleições municipais do mês passado.

O semanário Le Canard Enchainé disse que o presidente deixou expirar o prazo final de dia 31 de dezembro de 2007 para registrar-se em sua zona eleitoral e que assessores dele acrescentaram seu nome à lista de eleitores no dia 3 de janeiro, mas com uma data anterior a fim de legitimar o processo.

Representantes da Presidência não quiseram manifestar-se sobre a notícia, que repercutiu amplamente nos meios de comunicação franceses. Luc Chatel, porta-voz do governo, tentou evitar fazer comentários sobre o assunto durante a entrevista coletiva que concede semanalmente.

"Quero deixar claro que o registro na lista foi validado pela comissão eleitoral (municipal), que é a única autoridade em tais questões", afirmou Chatel, recusando-se a confirmar a data na qual o nome de Sarkozy de fato ingressou no registro.

Membros do Partido Socialista (oposição) exigiram uma explicação.

"Se isso for comprovado, significa que documentos tiveram sua data alterada a fim de permitir que alguém votasse, o que não é permitido. Isso se chama falsificação de documentos públicos", afirmou o ex-primeiro-ministro socialista Laurent Fabius.

Um crime do tipo pode ser punido na França com uma pena de até sete anos de prisão. No entanto, não houve sugestões de que o próprio Sarkozy alterou a data de seus formulários de registro.

Segundo o Canard Enchainé, o prefeito do município onde Sarkozy votou ficou indignado ao descobrir a falsificação dos documentos e só se acalmou quando a Presidência prometeu que ele seria escolhido para celebrar o casamento do líder francês com Carla Bruni.

Na quarta-feira, o prefeito negou tais sugestões, afirmando que se tratavam de uma "invenção total".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 273 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal