Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

11/03/2008 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF prende dois secretários da Prefeitura de Campos (RJ) por fraude em licitações

Por: Luisa Belchior


A Polícia Federal prendeu hoje dois secretários da Prefeitura de Campos (RJ) numa operação contra fraude em licitações: José Luís Púglia (Obras) e Edílson de Oliveira Quintanilha (Desenvolvimento). Durante a operação foram realizadas buscas na casa do prefeito da cidade, Alexandre Mocaiber (PSB), e na do secretário de Fazenda, Carlos Edmundo Ribeiro. O esquema teria desviado R$ 240 milhões dos cofres públicos.

Ao todo, segundo a PF, foram presas 15 pessoas durante a operação Telhado de Vidro -nome de uma das empresas envolvidas no suposto esquema de fraude em licitações. Uma delas, o sub-comandante do Corpo de Bombeiros de Campos, o tenente-coronel Eduardo Ribeiro Neto, foi preso em flagrante por porte ilegal de arma -a arma foi encontrada quando a polícia cumpria um mandado de busca e apreensão em sua casa.

Segundo a PF, o esquema consistia na fraude de licitações públicas para contratação de serviços terceirizados. Além dos secretários, também participavam do esquema entidades filantrópicas e órgãos públicos.

O superintendente da PF no Rio, Valdinho Caetano, disse que cerca de 20 mil funcionários terceirizados participavam do esquema sem saber. Eles eram contratados com salários superfaturados: a diferença entre o que a prefeitura pagava e o que eles recebiam era dividida entre os empresários e os secretários de Campos.

"A ação consistia na contratação irregular de milhares de funcionários para trabalhar na Prefeitura de Campos. O valor era superfaturado e o excedente era dividido entre essas pessoas", disse Caetano.

Segundo ele, há indícios de que o prefeito de Campos se beneficiava do esquema. "Ele [o prefeito] certamente sabia e ainda se beneficiava dele", afirmou o superintendente da PF.

Caetano afirmou que não havia mandado de prisão contra Mocaiber, somente de busca e apreensão. Os documentos apreendidos na casa do prefeito serão analisados pela Justiça.

Durante a operação foram apreendidos sete carros de luxo, R$ 100 mil em dinheiro, além de documentos. A PF também pediu para a Justiça o seqüestro de um avião de um dos empresários envolvidos no suposto esquema de fraude em licitações.

Caetano deu como exemplo de fraude a contratação de um serviço que custava R$ 40 mil, mas era contratado por R$ 70 mil. "O excedente era dividido entre os envolvidos", disse.

Entre os presos estão o procurador-geral do município de Campos, Alex Pereira Campos, o presidente da Cruz Vermelha Brasileira-Nova Iguaçu, José Renato Muniz Guimarães, o presidente da Fundação José Pelúcio Ferreira, Marco Antônio França Faria, entre outros. Todos eles serão indiciados por crime contra a ordem tributária, fraude em licitações e formação de quadrilha -com exceção do sub-comandante do Corpo de Bombeiros.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 267 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal