Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

04/03/2008 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Secretários de Santa Isabel são presos por corrupção e prefeito pode estar envolvido, diz polícia

Por: João Sorima Neto e Wagner Gomes


ÃO PAULO - O delegado regional de Guarulhos, Luiz Alberto de Souza Ferreira, disse que há fortes indícios do envolvimento do prefeito Helio Buscarioli (PSDB) no desvio de verba pública na Prefeitura de Santa Isabel, a 55 quilômetros da capital. O delegado afirmou que vai encaminhar um relatório ao Tribunal de Justiça de São Paulo para que seja pedida a prisão do prefeito - a polícia não pode decretar a prisão porque o prefeito tem foro privilegiado. Nesta terça-feira, quatro secretários da equipe do prefeito tiveram prisão decretada por formação de quadrilha, corrupção passiva, peculato e fraude em concorrência pública. Eles estavam sendo investigados há 30 dias e a polícia obteve autorização judicial para fazer escutas telefônicas.

Foram presos o secretário de Administração e Finanças, Antonio Ribeiro Guimarães; Planejamento e Obras, Francisco Carlos Buosi; Agricultura e Meio Ambiente, Orlando Santana; e de Governo, Donato Guerreiro Matarazzo. O quinto secretário, o de Educação, Élio Fortunato, não foi localizado pela polícia. Eles foram levados para a cadeia pública de Santa Isabel.

Sobraram apenas os secretários de Promoção e Assistência Social; de Saúde e o chefe de gabinete. A secretaria de Turismo está vaga.

A polícia ainda tem mais dois mandatos de prisão para cumprir contra dois empresários que participavam do esquema. Foram realizadas 15 buscas e apreensões nesta terça.

- Os secretários foram presos durante uma reunião na Prefeitura. O prefeito não pôde ser detido, apesar de indícios na participação do esquema, porque tem foro privilegiado. Agora vou enviar um relatório ao Tribunal de Justiça para que seja pedida a prisão dele, já que temos indícios suficientes de que ele participava do desvio de verba - disse.

O prefeito será chamado a prestar esclarecimentos à polícia.

Segundo o delegado, os secretários apresentavam notas fiscais aparentemente 'boas' para justificar compras, mas que na verdade eram forjadas. Como o caso corre em segredo de Justiça, ele não deu detalhes sobre a ação dos secretários, mas informou que um caminhão foi comprado com dinheiro público e depois transferido para uma empresa. Também há muito desvio de verba de compra de material para asfaltamento de ruas na cidade. Os materiais nunca chegaram ao destino.

A polícia começou a investigar o caso há três meses, depois que a imprensa local denunciou o esquema fraudulento na Prefeitura. O delegado explicou que agora serão feitas auditorias nas contas da Prefeitura para se chegar ao total desviado - estima-se que o rombo chegue a R$ 1 milhão. Os secretários presos nesta terça-feira tiveram a prisão preventiva temporária decretada por cinco dias, mas ela poderá ser prorrogada.

- Desvio de verba pública já está comprovado. Vamos também averiguar lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito - disse o delegado.

Segundo o delegado de Santa Isabel, Jorge Vidal, os secretários eram bem articulados. Ele disse que logo que as investigações começaram, as evidências de fraude eram tantas, que o pedido de prisão acabou não sendo uma surpresa.

O prefeito de Santa Isabel, Helio Buscarioli (PSDB), disse que não considera grave as acusações contra os seus cinco secretários. Segundo ele, as acusações ainda estão sendo averiguadas e que nada foi provado por enquanto. Buscarioli disse que não tem medo de ser afastado e afirmou que não tinha conhecimento dos atos praticados pelos seus secretários. O prefeito, que deve ser candidato à reeleição este ano, afirmou ainda que não tem medo de perder votos por conta desse episódio.

- Se eu perder a eleição vou para a vida normal. Não preciso da Prefeitura - afirmou Buscarioli.

No ano passado, a promotora Estefania Paulin, do Ministério Público de Santa Isabel, pediu o afastamento do prefeito por ele ter contratado uma empresa especialista em licitações, a Charles Francis Quinlan, pagando R$ 4 mil ao mês para que um especialista em licitações fosse dar expediente na Prefeitura apenas uma vez por semana. A Prefeitura já teria pago mais de R$ 42 mil à empresa, segundo a promotora.

Segundo a promotora, a prefeitura não precisa da Charles Francis porque já tem um departamento jurídico, que em tese é o responsável pelas licitações. Ainda segundo a promotora, não houve licitação e a Charles Francis foi contratada por convite, o que seria irregular na visão dela. Caso a denúncia seja acatada pela Justiça, o prefeito pode ter os direitos políticos cassados e ainda pagar uma multa de até cem vezes o valor recebido.

Santa Isabel é uma cidade de 43 mil habitantes e conhecida pelo turismo de fim de semana. O municício abriga vários rios e cachoeiras - Ribeirão Araraquara, Rio Jaguari, Rio dos Pilões e Rio Paratei - e, nos últimos anos, aumentou a quantidade de condomínios residenciais de alto padrão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 284 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal