Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/03/2008 - EPTV.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Loja virtual de empresário preso continua no ar


Um dia depois da prisão do empresário acusado de fraude na venda de aparelhos de informática, ocorrida na sexta-feira (29) em Ribeirão Preto, sua loja virtual continuava no ar até o início da noite deste sábado (1º). Jack Roberto Silva de Oliveira estava com a prisão preventiva decretada pela Justiça e foi detido em seu apartamento, na Avenida João Fiúsa.

A loja do empresário está com as portas fechadas, mas no site da empresa ainda era possível comprar computadores, projetores e filmadoras neste sábado. A empresa promete grandes descontos para atrair os clientes.

Um publicitário, que prefere não ser identificado, comprou um computador por R$ 3,2 mil, em três parcelas. “Não tenho como escapar do cartão de crédito. Terei de pagar mais duas parcelas de R$ 1 mil”, disse.

Uma outra vítima do empresário foi uma estudante, que também tem medo de se identificar. Ela pagou R$ 3,6 mil à vista por um computador que nunca foi entregue. Só soube que havia sido vítima de um golpe quando viu a notícia da prisão do responsável pela loja. “Me fizeram a promessa de restituir metade do dinheiro agora, e a outra metade daqui a 15 dias. Mas não tenho a esperança de ver meu dinheiro de volta”, afirmou.

Segundo a polícia, Jack Oliveira responde a 13 processos por estelionato nos últimos cinco anos. Ele comprava lojas de informática e as mantinha no nome dos antigos donos. Era por isso que, quando um cliente pesquisava, não encontrava nenhuma irregularidade. O estelionatário teria usado pelo menos seis empresas nos golpes.

Em uma página de relacionamentos na internet, vítimas de outras duas empresas de Oliveira, a Criart, e a Wimax, tentam alertar outras pessoas. Somadas, as duas comunidades têm mais de 300 pessoas de vários estados brasileiros.

O caso está sendo investigado desde março do ano passado, e 153 boletins de ocorrência foram registrados. A polícia acredita que os golpes estivessem sendo praticados há pelo menos cinco anos, e o prejuízo às empresas é estimado em R$ 5 milhões. O empresário também é investigado por aplicar golpes em nome de outras cinco empresas.

Na sexta-feira (29), a advogada Cláudia Seixas, que representa o empresário, disse que vai entrar com pedido da revogação da prisão preventiva. Ela entende que não há motivo para a preventiva, porque Oliveira não estava em fuga e sim em seu apartamento, onde atendeu a ordem de prisão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 236 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal