Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

28/02/2008 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Cursos sobre mercado de ações podem ser porta para golpes, diz CVM

Por: Eduardo Cucolo


Cursos sobre mercados de ações podem abrir a porta para que investidores sejam enganados, principalmente em cidades no interior do país, segundo denúncias investigadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão responsável pela regulação do mercado de capitais.

Os cursos, segundo a CVM, podem ser uma forma de atrair e ganhar a confiança dos investidores. A irregularidade aconteceria ao final das aulas, quando pessoas não autorizadas a operar no mercado financeiro estariam oferecendo oportunidades de investimento e captando dinheiro desses investidores.

Pela legislação, qualquer pessoa ou entidade pode promover cursos sobre o mercado de ações. Mas somente profissionais ou empresas autorizados a operar com intermediação financeira podem oferecer investimentos em valores mobiliários, como ações, títulos públicos ou privados e fundos.

“Essas pessoas aproveitam essas aulas para, no final do curso, captar clientes. Há muitos casos de pessoas que entregaram suas economias de uma vida inteira para essas pessoas”, diz José Alexandre de Cavalcanti Vasco, superintendente de Proteção e Orientação aos Investidores da CVM.

Conferência

Vasco informou que, na dúvida, o investidor deve procurar a comissão, pelo telefone 0800-7260802 ou pela internet.

“A melhor forma da pessoa se prevenir é, quando receber a oferta, consultar a CVM. Ninguém pode oferecer investimento se não estiver atuando junto a uma instituição autorizada”, diz Vasco.

Golpe por telefone

Ele diz que essas pessoas podem se apresentar algumas vezes como falsos representantes de corretoras ou bancos que realmente existem. “É preciso perguntar para quem estiver fazendo a oferta [de investimento] qual o nome da empresa e consultar o nome da pessoa para ver se ela tem registro”, diz o superintendente.

Outro esquema que tem sido verificado em vários estados é a montagem de centrais telefônicas que buscam pessoas que tenham ações de telefonia para vender. Em geral, são papéis da antiga Telebrás, frutos de planos de expansão.

Segundo Vasco, muitas vezes o investidor realmente recebe o dinheiro da venda das ações, mas, sem saber, vende o papel com um desconto de até 20% sobre a cotação na bolsa. “A pessoa faz um péssimo negócio e têm prejuízo”, diz.

Há até casos de escritórios montados para que o investidor tenha a impressão de que está realmente investindo em uma empresa autorizada. Mas, depois de algum tempo captando recursos, essas empresas se mudam levando o dinheiro das vítimas.

“O que a gente tem observado nos últimos anos é que esses golpes têm se diversificado. Há um grande anseio do público investidor por obter melhores rentabilidades e esses esquemas têm como compartida um retorno espetacular prometido, que atrai o investidor que tem menos orientação”, diz o superintendente.

Punição

Atuar na intermediação financeira sem autorização pode ser caracterizado como crime. Além da punição na comissão, muitas vezes uma multa, o fato pode ser comunicado ao Ministério Público.

Para quem já foi lesado, no entanto, resta recorrer à Justiça comum para tentar reaver as perdas. Nesse caso, também é importante comunicar o fato à CVM. Muitos operadores e empresas não autorizados têm entrado em acordo com a comissão para ressarcir os prejuízos e evitar um processo judicial.

Fundo de garantias

Outro problema de utilizar os serviços de pessoas que não estejam autorizadas a operar nesse mercado é que o investidor não conta com o fundo de garantias oferecido pelas bolsas.

A Bovespa, por exemplo, mantém um fundo para assegurar aos investidores o ressarcimento de prejuízos provocados pela atuação “inadequada de administradores, empregados ou prepostos de corretora”, mas somente para negócios realizados com corretoras autorizadas na bolsa. Mais detalhes podem ser encontrados no site da Bovespa, no item Investidor – Fundo de Garantia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 194 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal