Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/02/2008 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Brasileiro preso no Líbano é acusado de adulteração de passaporte

Por: Tariq Saleh


O médico brasileiro Mohamad Kassen Omais, que foi preso em Beirute na semana passada, está sendo acusado de adulteração de passaporte libanês e de possível envolvimento com o conflito do ano passado no campo de refugiados palestino de Naher El Bared, no norte do Líbano.

A informação foi dada à BBC Brasil por fontes das Forças de Segurança Internas (FSI) do país.

Segundo uma das fontes, que pediu para não ser identificada, Omais teria um passaporte libanês que foi adulterado e usado por um primo que também tem cidadania brasileira, Zuheir Omais, para várias viagens à Síria.

"Este passaporte está dentro de uma investigação do setor de inteligência sobre os terroristas do conflito de Naher el Bared", disse a fonte à BBC Brasil.

Procurado

Em maio do ano passado, o Exército libanês e militantes radicais do grupo Fatah al Islam - Fatah Al Islam, grupo sunita que seria ligado à Al Qaeda- se enfrentaram no campo Naher el Bared.

O conflito matou de 400 pessoas, a maioria militantes e soldados, e deixou mais de 35 mil refugiados.

O governo libanês acusou a Síria de estar por trás dos militantes, inclusive dando armas ao Fatah al Islam.

Outra fonte da polícia disse à BBC Brasil que o primo de Omais também está sendo procurado pela polícia e que estaria atualmente no Brasil.

"Ele está na lista de procurados por terrorismo e falsidade ideológica. Omais pode ser processado por adulteração de passaporte e ligações com terrorismo", disse.

"O que sei é que a polícia está investigando a relação das viagens do primo dele à Síria com o conflito de Naher el Bared."

Relatório

Ayad Fares, advogado do brasileiro, tinha a expectativa de que Omais fosse libertado hoje, mas como o caso tomou maiores dimensões, o brasileiro deve continuar preso.

O cônsul-geral do Brasil em Beirute, Michael Gepp, disse que as autoridades libanesas permitiram hoje que ele pudesse visitar Omais.

Segundo Gepp, o brasileiro não apresenta sinais de maus tratos, mas está muito abatido."Ele disse que está bem, mas implorou para que as autoridades libanesas o deixassem voltar ao Brasil."

"Ele está preocupado com sua atividade profissional no Brasil, com consultas marcadas para atender. Ele continua não acreditando que está envolvido numa situação destas."

O cônsul disse que enviou um relatório sigiloso ao Ministério de Relações Exteriores sobre o que as autoridades libanesas lhe relataram.

"Tudo que posso dizer é que ele está sendo acusado formalmente de adulteração de passaporte libanês. Não posso revelar os detalhes do meu relatório, apenas que o caso é muito grave", disse Gepp.

"Se o juiz decidir que sua história de inocência procede, ele pode determinar que ele seja liberado. Mas por enquanto, segundo me informaram, ele continuará preso".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 230 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal