Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

19/02/2008 - TV Canal 13 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Servidores estaduais também falsificavam contracheques


A quadrilha que estava falsificando diplomas na Secretaria de Educação do Estado também falsificava contracheques no Governo do Estado. Os integrantes da quadrilha tentaram comprar um carro importado no valor de R$ 120 mil. A negociação foi interceptada pela Polícia Civil, na operação Ateneu. Onze pessoas estão presas. Os contracheques eram dados em garantia da compra. Ele frisou que as investigações continuam e ainda não foram concluídas.

“A Polícia Civil estava escutando as conversas e avisou a concessionária que não vendesse porque os contracheques eram falsos e a quadrilha seria presa”, comentou o superintendente institucional da Educação, José Barros Sobrinho.

Segundo José Barros, a falsificação era de diplomas e contracheques, mas era uma falsificação grosseira. Como eles não conseguiriam sacar os contracheques, tentavam usar no comércio e queriam fazer várias negociações usando os contracheques como garantia.

Segundo José Barros, os contracheques não estavam sendo falsificados na Prodepi (Empresa de Processamento de Dados do Estado do Piauí). Eram feitas cópias grosseiras e eram utilizadas para tentar fazer negócios no comércio.

O superintendente afirmou que o delegado Edvan Botelho, da Delegacia Especializada de Crimes contra a Ordem Tributária, Econômica e contra as Relações de Consumo (Deccortec), foi quem interceptou as ações da quadrilha.

A quadrilha atuava na confecção de diplomas falsos, sendo que tinha dois integrantes que eram funcionários da Educação. As investigações foram iniciadas a pedido da Secretaria de Educação, que desconfiou que várias jovens de idade aproximada de 15 anos ingressaram em faculdades particulares com diplomas do ensino médio que chamou a atenção da secretaria. “Foi daí que a Secretaria de Educação solicitou da Procuradoria do Estado e da Secretaria de Segurança uma investigação para apurar isso. Começaram as investigações”, comentou José Barros, que esteve pela manhã na sede da Assembléia Legislativa, para conversar com alguns deputados.

Segundo José Barros, a Operação Ateneu teve que ser antecipada pela ousadia da quadrilha que falsificava documentos públicos, quando tentou fazer compras utilizando contracheques falsos.

“As investigações continuam. A polícia vai identificar todos os beneficiários e invalidar todos os diplomas que foram emitidos, que são falsos. Várias pessoas foram presas. A situação ficou mais grave quando pegaram a falsificação de contracheques de repartição pública. A Educação ainda está esperando receber um relatório da apuração feita pela policia civil”, emendou José Barros.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 297 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal