Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

15/02/2008 - Extra Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Em Guapimirim, conta bancária em nome de doméstica é aberta sem o conhecimento dela

Por: Marcos Nunes


A doméstica Y., de 46 anos, foi "aprovada" para trabalhar na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Mas o deputado Edino Fonseca - que encaminhou ao Departamento de Administração de Pessoal da Alerj pedido para que ela fosse nomeada para o cargo de auxiliar administrativo - parece ter se esquecido de avisar a doméstica do novo emprego.

Apesar de "contratada", ela nunca recebeu o salário de R$ 3.078,42. Recebeu o que integrantes do bolsa fraude definiram como Bolsa Família: ou seja, R$ 350 mensais.

O EXTRA teve acesso à cópia de um ofício, assinado pelo deputado e anexado ao inquérito número 001/2008, instaurado pela Delegacia de Defraudações. No documento, constam os pedidos de abertura de contas bancárias em nome de Y. e da dona-de-casa X. - que a exemplo da doméstica foi vítima da quadrilha - ao Banco Itaú, agência Castelo.

Reavaliada

Procurado pelo EXTRA, o deputado informou, através de sua chefe de gabinete Sônia Santos, que o nome de Y. foi indicado por um coordenador político.

De acordo com Sônia, Y. passou pelo procedimento de contratação, mas não chegou a trabalhar com o deputado, porque sua contratação foi "reavaliada". Quanto a X., a assessora do deputado disse não lembrar de sua contratação.

Y e X. foram atraídas pelos fraudadores com a promessa de serem inscritas no programa Bolsa Família, do governo federal, para ganhar R$350 mensais. Ontem o EXTRA localizou a dona-de-casa X., de 31 anos.

Ela é uma das quatro pessoas enganadas pela quadrilha. Mãe de oito filhos e atualmente grávida de sete meses, X. revelou ter sido levada à Alerj. Na ocasião, ela já esperava seu oitavo filho. Mesmo assim, ela foi aprovada em um exame de saúde e nomeada para o cargo de auxiliar administrativa, em fevereiro de 2007.

- O médico ouviu meu coração e perguntou se eu tinha algum problema de saúde. Respondi negativamente. Disseram, então, que eu estava aprovada para receber o Bolsa Família - disse.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 287 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal