Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/02/2008 - UOL Notícias / Valor Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Aumenta ação do Fisco contra fraudes em operações de comércio exterior

Por: Azelma Rodrigues


BRASÍLIA - Apesar de aumento de 22% nas ações de combate à evasão fiscal no comércio exterior, a Super Receita registrou uma queda de 33,2% no valor dos impostos devidos por fraudes e sonegações. Foram R$ 3,15 bilhões em autuações tributárias em 2007, ante R$ 4,713 bilhões em 2006.

A secretária-adjunta da Receita, Clecy Lionço, disse que a queda é explicada por operações "atípicas" no ano anterior, que geraram R$ 2,178 bilhões em impostos devidos e não pagos. O grosso dessa evasão foi detectado na chamada "Operação Dilúvio", quando 102 pessoas foram presas acusadas de participar do maior esquema de fraudes em comércio exterior no país.

À época, o Fisco estimava sonegação da quadrilha ao redor de R$ 500 milhões. Segundo Clecy, apenas um auto de infração na Bahia teve o valor de R$ 1,28 bilhão; outro no Rio de Janeiro em R$ 485 milhões e em São Paulo, R$ 404 milhões.

"O valor das infrações caiu, mas a presença fiscal aumentou", justificou a secretária sobre os resultados do ano passado. "O Fisco está mais atento e o contribuinte também está se sentindo mais responsável para andar na linha", comentou ela.

O balanço mostra que as mercadorias apreendidas por fraudes, pirataria, falsificação de documentos ou subfaturamento, atingiram R$ 1,057 bilhão, alta de 22% ante os R$ 872 milhões do ano anterior. Lideram a lista produtos eletroeletrônicos, cigarros, óculos, calçados e equipamentos de informática.

A análise de risco foi feita pelo Fisco em 3,3 milhões de declarações de importação (aumento de 15%) e exportação (alta de 4%), um incremento geral de 250 mil despachos aduaneiros em relação a 2006. Cerca de 12,4 mil empresas de comércio exterior receberam a visita direta dos auditores, sendo que cerca de mil ações (alta de 110%) foram por suspeita de subfaturamento de importação, com a identificação de 180 companhias fantasmas (inexistentes).

A Super Receita autorizou 13.878 novas empresas a operarem com transações externas no ano passado, de forma que o número de habilitadas no Siscomex subiu para 48.455, segundo Clecy.

A secretária informou ainda que está unificando a declaração de bagagem, obrigatória para quem entra ou sai do país. Além de informações tributárias, o documento conterá dados de interesse da Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). "O objetivo é que o viajante não tenha que parar em duas filas", disse Clecy.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 220 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal