Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

30/01/2008 - Jornal A Razão Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia descobre comércio de agrotóxicos falsificados


A prisão de um homem de 44 anos, na manhã de ontem, em Tupanciretã, pode ser a pista que a Polícia precisava para chegar até uma quadrilha de atuação interestadual, que vinha comercializando agrotóxicos falsificados com o nome da empresa Syngenta. Roberto Leonel Strapazon, foi preso em flagrante pela Polícia Civil de Tupanciretã e Júlio de Castilhos, no momento em que chegava na cidade para comercializar uma carga de 300 litros do defensivo Priorix Extra. O produto é utilizado no combate à ferrugem em lavouras de soja.

A operação ocorreu no momento em que Strapazon chegava com o lote que seria comercializado num estabelecimento comercial, da rua Paulino Aquino, no Centro de Tupanciretã, que já havia adquirido um lote de 300 litros do mesmo defensivo. O acusado recebeu voz de prisão em flagrante do delegado Antônio Firmino de Freitas Neto, responderá por estelionato e falsificação, com possibilidade de ser indiciado, também, por contrabando.

Segundo o delegado Firmino, a carga apreendida em poder do investigado seria comercializada por aproximadamente R$ 70 mil. A Polícia tem informações de que Strapazon possa ter comercializado os mesmos produtos em cidades como Santo Ângelo, Ijui, Passo Fundo e até de fora do Estado. Quem adquiriu o defensivo da marca apreendida pelo Polícia nestas praças deve estar atento e procurar a sede regional da Secretaria de Estado da Agricultura para atestar a eficiência do produto.

Para a Polícia ainda é cedo para se dimensionar o estrago provocado pelos golpes que teriam sido aplicados pela quadrilha. O produto apreendido ontem não continha em sua composição o princípio ativo que combate a ferrugem.

Esta situação, segundo o delegado Firmino, já teria sido atestada por dois engenheiros agrônomos. No entanto, considerando que o lote de 600 litros apreendidos pela Polícia seriam aplicados em aproximadamente 12 mil hectares, a quebra na produção poderia chegar a 72 mil sacas, o que representaria um prejuízo de quase R$ 13 milhões.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 864 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal