Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/01/2008 - Imirante.com / Diário do Povo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Bando que desviava dinheiro de contas pega 178 anos


SÃO LUÍS - O juiz federal Rubens Rollo D’Oliveira, da 3ª Vara, especializada em ações criminais, condenou por furto qualificado 22 pessoas denunciadas pelo Ministério Público Federal, como integrantes de quadrilha de hackers com atuação no norte e nordeste, que usava o programa de computador para desviar dinheiro pela internet. No total, as condenações, decretadas em três sentenças que têm mais de 300 laudas, chegam a 178 anos e nove meses de prisão.

Alguns dos condenados, a maioria em liberdade provisória e que agora deverão retornar para a prisão, já haviam sido presos em Teresina como acusados da prática do mesmo crime em ações desenvolvidas pelas polícias Civil e Federal. Logo após o visto do representante do Ministério Público e a publicação da sentença, será aberto o prazo de recurso para os advogados de defesa.

De acordo com informações prestadas pela secretaria da 3ª Vara Federal, não foi possível chegar a um cálculo preciso sobre os valores desviados pelos piratas da internet, mas estima-se - com base nas informações contidas nos depoimentos e outras provas - que existam boletos bancários pagos pelo bando com valor superior a R$ 500 mil.

Entre os condenados, há técnico de informática, comerciante, representante comercial, vendedor autônomo que se passava por mulher ao telefone para aplicar golpes e até dois policiais civis.

Os dois policiais foram condenados, respectivamente, há dez anos e oito meses e a nove anos e quatro meses de reclusão, a ser cumprida em regime fechado e sem que os réus tenham o direito de apelar em liberdade. Como são funcionários públicos, tiveram decretada a perda do cargo público.

A quadrilha não se resume aos 22 agora condenados. Já houve sentença anterior em dois processos com condenação de sete acusados. Mais 16 réus ainda respondem a processos. Esse fato levou o juiz federal a desmembrar o processo em vários, para facilitar os procedimentos penais.

A quadrilha, em parte agora condenada, foi desbaratada pela Polícia Federal durante a "Operação Cavalo de Tróia 3", que depois passou a ser chamada de "Operação CTRL Alt Del", referência aos comandos no teclado de um computador para se fazer alguns procedimentos.

Em geral, segundo a denúncia do MPF, os denunciados formavam organização criminosa para subtrair valores depositados em contas correntes de instituições bancárias, “mediante abordagem por meio de telefone, com o objetivo de cadastramento de senha para posterior saque ou transferência para outra conta bancária.”

No centro da organização criminosa, segundo a sentença, atuam estelionatário, “cartãozeiros” e finalmente os “laranjas” (aqueles que emprestam suas contas bancárias para receber créditos fraudulentos). Os policiais atuavam como "cão de guarda" oferecendo proteção.

Como alguns deles estão foragidos e outros em liberdade provisórias, suas prisões serão decretadas para que eles sejam recolhido ao sistema prisional.

condenados

Débora Vasconcelos Carvalho - 12 anos e 8 meses;
Érica Costa dos Santos - 12 anos e 8 meses;
Arildo Fernandes M. de Paula - 10 anos e 6 meses;
Mizael Moreira Dias - 10 anos e 6 meses;
Ardylley Costa Aboim - 10 anos e 6 meses;
Raquel Ramos da Silva - 10 anos e 6 meses;
Raimundo de Nazaré Saraiva Filho - 11 anos e 2 meses;
Augusto Marconi Castro da Silva - 10 anos e 8 meses;
Raphael Carvalho Derze - 10 anos e 6 meses;
Sayd de Oliveira Gomes - 10 e 4 meses;
Osmar Ferreira da Costa - 9 anos e 4 meses;
Cleber Rodrigues Pinheiro - 6 anos e 8 meses;
Fábio Geraldo Freitas dos Santos - 6 anos e 8 meses;
Ivo Santana Cantanhede - 6 anos e 1 mês;
Haroldo Guedes Mendes - 6 anos e 1 mês;
Fabiana Conceição dos Santos - 3 anos e 10 meses;
Marcos Antonio Cordeiro dos Santos - 6 anos e 3 meses;
Diogo Sarmento Silva - 8 anos e 10 meses;
Francisco das Chagas Teixeira Lopes - 9 anos e 6 meses;
Flávio Barros Sobrinho - representante comercial - 9 anos e 6 meses;
José Marques Pereira do Nascimento - 9 anos e 6 meses
Severino Cardoso da Silva - 9 anos e 8 meses.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 401 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal