Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/01/2008 - Última Instância Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Acordo suspende processo contra fundadores da Renascer

Por: Rosanne D'Agostino


Um processo a que respondia o casal Estevam e Sônia Hernandes, fundadores da Igreja Renascer, na 30ª Vara Criminal de São Paulo por sonegação fiscal, foi suspenso na sexta-feira (18/1).

De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo, houve o trancamento da ação após um acordo para o pagamento da dívida feito pelos bispos com a Secretaria estadual de Fazenda de São Paulo. Se o pagamento não for efetuado nos termos do acordo, a ação voltará a ter eficácia.

A assessoria de imprensa da Renascer informou que a dívida, de aproximadamente R$ 4 milhões, já estava sendo negociada desde o início do processo, inclusive, com algumas parcelas já quitadas.

Estevam Hernandes Filho, conhecido como apóstolo, e sua esposa, Sonia Haddad Moraes Hernandes, conhecida como bispa Sonia, respondem a ação penal por prática de crimes de lavagem de dinheiro ou ocultação de bens, estelionato e formação de quadrilha. Ambos têm prisão preventiva decretada no Brasil.

Em denúncia apresentada pelo promotor Marcelo Mendroni, Estevam Hernandes Filho e a mulher são acusados de arrecadar "altíssimos valores" com a igreja, "às custas, principalmente, de ludibriar fiéis e de deixar de honrar incontáveis compromissos financeiros, tornando-os habitualidade, com evidências de características criminosas". "Eles criaram um produto que é a fé. E vendem essa fé em moldes de organização criminosa", afirma o promotor.

O valor da dívida com o Fisco paulista foi divulgado por Mendroni em outubro, supostamente de R$ 6,5 milhões, como uma descoberta do Ministério Público.

Em nota, a igreja criticou o promotor, afirmando que "trata-se de uma dívida legal, declarada, reconhecida, que vem sendo paga em parcelas, conforme negociação nos termos da lei, dentro das normas do PPI, aplicáveis a qualquer pessoa ou instituição".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 246 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal