Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/01/2008 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Assinatura falsa complica defesa de Lobão Filho

Por: Hudson Corrêa, Leonardo Souza e Silvia Freire


Documentos da Junta Comercial do Maranhão apontam que o suplente de senador Edison Lobão Filho (DEM-MA) tem uma sócia na Transamérica Transportes com assinatura falsificada no contrato de criação da empresa. O Ministério Público investiga se ele utilizou laranjas em seus negócios. Segundo laudo da Polícia Federal, Ana Maria dos Santos teve a assinatura falsificada na Bemar Distribuidora de Bebidas, da qual Lobão Filho também foi sócio. A assinatura falsa no contrato da Bemar é a mesma no contrato da Transamérica.

A sociedade de Lobão Filho na transportadora enfraquece seu argumento de que o uso de laranjas na Bemar era responsabilidade de seu "verdadeiro sócio" na distribuidora de bebidas, Marco Antonio Costa.

Costa não é sócio da Transamérica, empresa da qual Lobão Filho é majoritário. Ana Maria ingressou na sociedade em 1996, junto com Maria Luiza de Almeida, mulher de Costa.

O Ministério Público do Maranhão suspeita que Lobão Filho tenha transferido as ações na Bemar a laranjas fugindo da dívida de R$ 12 milhões com a Receita e o Banco do Nordeste. Ele negou haver irregularidades. A Promotoria determinou à Secretaria de Fazenda que faça uma auditoria na empresa.

A revista "Veja" desta semana noticiou que Lobão Filho transferiu, em outubro de 1998, suas ações na Bemar para a empregada doméstica Maria Lúcia Martins, que teve assinatura falsificada na Junta Comercial. Em nota, Lobão Filho disse que, por indicação de Costa, seu "verdadeiro sócio", transferiu as ações para a mãe dele, Maria Vicentina, e para Maria Lúcia -que na época era empregada doméstica de Costa.

Lobão Filho disse que só descobriu "muito tempo depois". As ações foram transferidas, na verdade, para Ana Maria dos Santos, além de Maria Lúcia, segundo documento da junta.

Ou seja, a mãe de Costa não aparece no negócio. Além disso, Maria Vicentina é dona da Itumar que, segundo o Ministério Público, sonegou R$ 42 milhões desde 2000.

A assinatura de Ana Maria foi falsificada, segundo a PF, na transferência das ações da Bemar. Ela não assinou documento para comprar ações. A reportagem não localizou Ana Maria.

Segundo a PF, também são falsas as assinaturas atribuídas a Ana Maria no documento em que ela entra na sociedade da Bemar, em 1996, comprando as ações do empresário Ricardo Lobão Salim, até 2007 sócio de Lobão Filho em empresas de comunicação. Também é falsa a assinatura dela no contrato de criação da empresa Transamérica, que não funciona, mas aparece como ativa.

Por causa das assinaturas falsas e parecidas, Lobão Filho poderia argumentar que pensava estar transferindo as ações da Bemar para a mãe de Costa. Ana Maria, porém, não é desconhecida de Lobão Filho, pois ela era sócia dele desde 1996.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 302 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal