Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

16/01/2008 - Diário de Taubaté Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Acit faz alerta para cédulas suspeitas de falsificação


Em 2007, o Banco Central (BC) registrou a apreensão de 458.387 notas falsificadas em todo o Brasil. Em dinheiro, o volume total foi de R$ 17.689.617. Para evitar possíveis transtornos, a ACIT (Associação Comercial e Industrial de Taubaté) orienta comerciantes e consumidores a ficarem atentos quanto ao recebimento de notas falsas.

Todas as cédulas contêm itens de segurança que ajudam a identificar se a nota é verdadeira ou não. A relação de todas as características pode ser encontrada no site do Banco Central (www.bcb.gov.br). "Os comerciantes devem procurar conhecer as características de cada nota, principalmente as de maior valor, para não terem prejuízo", orienta a presidente da ACIT, Rogeria Ferreira.

Para isso, é fundamental que os comerciantes fiquem atentos, principalmente em São Paulo, já que 60% das apreensões são realizadas na região Sudeste, contra 16% na região Sul, 14% no Nordeste, 8% no Centro-Oeste e 2% na região Norte do país. "É preciso prestar mais atenção principalmente em datas de grande movimento, como Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e Natal, além dos períodos de liquidações e promoções", afirma Rogeria.

Pela ordem, as notas mais falsificadas são as de R$ 50 (56,2%), R$ 10 (27,9%), R$ 20 (8,3%), R$ 5 (6,9%) e a de R$ 100, com apenas 0,7%. Entre 2006 e 2007, a quantidade de notas apreendidas diminuiu 33%, o equivalente a 15.648 cédulas falsas a menos em circulação.

Notas Falsificadas

Os principais itens de segurança são a marca d'água, a imagem latente do registro do BC no canto inferior esquerdo da nota, além do relevo e da textura do papel. Alguns comerciantes optam por usar a caneta testa-nota que, se a cédula for falsa, fica com a tinta marcada no papel. Se a nota for verdadeira, a tinta não aparece.

Caso o comerciante, após criteriosa observação dos elementos de segurança ou comparação com uma cédula legítima, suspeite que a nota seja falsa, deverá então recomendar ao dono do exemplar suspeito que procure uma agência bancária ou uma representação do Banco Central para solicitar o exame do exemplar.

O Banco Central lembra que as notas falsas não são trocadas. O BC apenas examina se elas são verdadeiras ou não. A falsificação de moeda é crime previsto pelo Código Penal, com pena de três a 12 anos de detenção. Quem tentar colocar uma cédula falsa em circulação, mesmo que a tenha recebido de boa fé, pode ser condenado a uma pena de seis meses a dois anos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 307 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal