Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/12/2005 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF prende 8 no Rio e SP em operação contra lavagem de dinheiro

Por: Janaina Lage


A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Babilônia no Rio de Janeiro e em São Paulo para desarticular um esquema de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e evasão de divisas. A operação resultou na prisão de oito pessoas, sete no Rio de Janeiro e uma em São Paulo.

Segundo a PF, o esquema foi montado pelo escritório Zalcberg Advogados, localizado no Rio de Janeiro. Chaim Enoch Zalcberg, o principal sócio, foi detido em casa, no Alto Leblon (zona Sul do Rio). De acordo com o delegado Algacir Mikalovski, ele seria o líder de uma quadrilha formada por advogados e empresários que está sob investigação desde o caso do propinoduto.

O escritório de advocacia oferecia aos clientes um modelo de blindagem patrimonial. Na prática, a operação significava a legalização de recursos de caixa dois. Orientados pelo escritório, os clientes abrem uma empresa limitada para onde transferem seus bens, geralmente empresas do ramo imobiliário, o que gerou enorme crescimento do capital das empresas.

Depois de abertas as empresas limitadas, os advogados arrumavam um jeito de remeter recursos para o exterior por meio de supostos pagamentos de dívidas ou de empréstimos. No exterior, o escritório de advocacia criava empresas offshore, que recebiam os recursos. A título de investimento, as empresas offshore resolviam aplicar nas empresas limitadas.

A empresa offshore compra as empresas limitadas, dessa forma os bens dos clientes ficam oficialmente em nome da empresa estrangeira. Para as autoridades brasileiras, os clientes não possuem mais bens, ficando livres da fiscalização tributária. Os clientes recebem as ações ao portador das empresas offshore e assim ocultam seu real patrimônio.

Foram cumpridos 38 mandados de busca e apreensão. Foram presos Chaim Henoch Zalcberg (sócio), Alcindo de Azevedo Barboza (sócio), Shirley Andrade Santos (sócia), Taíssa Horovitz Balassimo (sócia), Adailton Guimarães (laranja), Manuel Ilidio Campos Barreiro (contador), Fabrício de Oliveira Silva (advogado) e Renato Bastos Rosa (laranja). O sócio do escritório Antonio Wanis Filho está foragido.

O nome dos clientes do escritório ainda não foi divulgado. Segundo a PF, esse será o próximo passo da investigação. Até agora a PF conseguiu identificar o esquema e a forma como o dinheiro regressava ao país.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1679 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal