Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

10/01/2008 - Alagoas em Tempo Real Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PGE edita medidas para combater fraudes na folha de pagamento do Estado


O procurador-geral do Estado, Mário Jorge Uchôa Souza, divulgou segunda-feira, dia 7, os procedimentos que o governo deve adotar para combater as irregularidades encontradas pela Controladoria Geral do Estado na folha de pagamento do Poder Executivo. Segundo o relatório, mais de 7 mil pessoas foram remunerados indevidamente, o que causou um prejuízo de mais de R$ 28 milhões aos cofres públicos estaduais.

Para os pagamentos efetuados a pessoas já falecidas a orientação é individualizar o recebimento de cada uma, instaurando processos administrativos; notificar os servidores, através de correspondências registradas para que eles devolvam os valores recebidos indevidamente; encaminhar à Procuradoria Geral do Estado (PGE) e ao Ministério Público Estadual (MPE) os processos daqueles que não comparecerem para realizar a devolução; além de verificar se há a participação de servidor estadual no pagamento irregular.

Nos casos de acúmulo de cargos e funções, as medidas a serem adotadas vão desde comunicar aos órgãos das administrações estaduais e federal sobre a situação em que o servidor se encontra; individualizar, para cada um, processo administrativo, a fim de apurar a acumulação de cargos e funções; determinar devolução da importância recebida indevidamente; até verificar a participação irregular de servidor no pagamento.

Em relação à majoração indevida da verba, os procedimentos são determinar a devolução do valor indevidamente recebido. Em caso de recusa, individualizar cada importância em processo pessoal, assim como juntar todos os comprovantes de recebimentos e remeter à PGE para ação de ressarcimento. Também verificar se o servidor tem participação irregular no pagamento; instaurar procedimentos para apurar as responsabilidades civil, penal e administrativa dos gestores.

Além destas medidas, o parecer da PGE também orienta como deve ser a procedência nos casos de irregularidades como pagamentos a maior verba, ex-pedevistas, verbas variáveis (adicional noturno, insalubridade e periculosidade, hora extra e abono permanência), subsídio e função gratificada, concessões de aposentadorias e pensões, aumentos indevidos de remuneração e carga horária, e inserção de pessoas estranhas no quadro de servidores da folha de pagamento.

Irregularidades em empreendimentos - Outro processo analisado pela PGE trata da distância para construção de empreendimentos hoteleiros em Maceió. A consulta foi solicitada pela Secretaria Executiva de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Naturais. De acordo com Uchôa, o parecer emitido não foi acolhido porque, entre outras razões, fere o Código de Urbanismo e Edificações do Município de Maceió.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 221 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal