Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

12/05/2006 - DiegoCasagrande.com.br Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Brasil Invertebrado

Por: Maria Lucia Victor Barbosa


O magistral José Ortega y Gasset tem entre suas obras uma de título bastante sugestivo: España Invertebrada. E diante dos que nos acontece atualmente, não é difícil concluir que também temos essa característica. Se ela decorre de todo um processo histórico impossível de ser apresentado num pequeno artigo, nossa atitude diante agir do governo petista é suficiente para atestar que somos invertebrados, inertes, acomodados, alienados.

Em 2002, quase 53 milhões de eleitores depositaram suas melhores esperanças em Luiz Inácio que, finalmente, na quarta tentativa, chegou lá. A oposição implacável do PT contra o governo de Fernando Henrique Cardoso, depois de oito anos fez efeito. O povo quis mudança. E mudança foi o que prometeu o candidato petista. A esperança haveria de vencer o medo e para isso Luiz Inácio se apresentou com discurso bem comportado, sem os furores revolucionários do PT do passado. A retórica sobre luta de classes foi cuidadosamente eliminada e os interesses dos antes odiados capitalistas, preservados. As mudanças incidiriam também sobre uma outra vida possível, justa e próspera para todos. A postura ética do governante e de seu partido haveria de redimir a pátria da doença da corrupção. Diante de tais apelos e da intensa propaganda elaborada por Duda Mendonça, a maior parte do eleitorado se rendeu.

Passado o tempo o que se viu foi o maior espetáculo de corrupção que o Brasil já teve. E olha que a corrupção foi implantada desde nossa origem, faz parte do nosso tecido social e abrange, sem exceção, todas as classes. Mas com os corruptos do PT ninguém pode e seu governo é campeão dos campeões na modalidade maracutaia.

Acrescente-se que, em termos de avanços sócio-econômicos, a incompetência governamental petista é evidente, em que pese os gritos ufanistas de inflação controlada (continuidade do Plano Real) e de êxitos na bolsa de valores (onde os investimentos são de curto prazo e de caráter especulativo). Entretanto, o fracasso desse governo pode ser expresso não só no nosso crescimento pífio de apenas 2,3%, no ano passado, só maior do que o do Haiti, como no estudo do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) em conjunto com a Fundação Centro de Estudos para o Comércio Exterior (Funcex). O estudo mostra que a competitividade dos produtos brasileiros nos mercados norte-americano e europeu acumula queda de 40% entre 2002 e março desse ano.

Outro aspecto desastroso do governo petista é sua política externa, e recentes episódios com nossos vizinhos e diletos companheiros do presidente Luiz Inácio mostram a perda de liderança brasileira, a desintegração do Mercosul, o isolamento do país por conta de sua equivocada política terceiro-mundista que, em vez de nos integrar à economia mundial como, inclusive, fez a China e a Índia, prefere trocar banana, tabaco e rum entre los hermanos sofridos. Optamos ser passados para trás na Alba, do que ingressarmos na imperialista e maldita Alca.

Para culminar, ao ato de força de Evo Morales, que expulsou a EBX, postou o Exército na Petrobrás, rompeu contratos e ameaça expulsar brasileiros, nosso presidente invertebrado apenas disse que tudo era questão de soberania da Bolívia e que os bolivianos sofridos tinham que ser tratados com carinho.

Fora do país, contudo, não funciona o Lulinha de paz e amor, conforme se notou nos insultos com os quais Morales respondeu ao carinho de Luiz Inácio. Segundo o soberano presidente boliviano, a Petrobras é sonegadora e contrabandista. Diante disso, o invertebrado chanceler Celso Amorim cogita retirar o embaixador brasileiro da Bolívia. Pode ser que ele fique só na cogitação, enquanto seguimos sob o comando de Hugo Chávez e de seus amigos.

Nesse cenário nenhuma manifestação popular. Grupos de interesse esboçando poucas e inócuas críticas. Partidos políticos ainda envolvidos com acertos entre siglas, enquanto Luiz Inácio segue como único candidato no palanque eletrônico da TV, a prodigalizar “bondades” eleitorais. E se Silvio Pereira, o Silvinho Land Rover, deu mais um show de cinismo na CPI dos Bingos, mensaleiros e quadrilheiros se preparam para retornar ao Legislativo. Completando o clima de desfaçatez o ex-ministro, deputado cassado e chefe do mensalão, José Dirceu, sai por aí fazendo acordos políticos em prol da reeleição de seu chefe Luiz Inácio e dando palestras em universidades. O que será que ele ministra aos jovens em suas aulas magnas, artes mafiosas?

É verdade que algumas reações surgem no marasmo brasileiro: a bengalada cívica, estudantes vaiando José Dirceu em Belo Horizonte, produtores rurais se unindo e protestando nas estradas, mensagens trocadas na Internet entre gente angustiada e indignada com a mixórdia institucional. São sinais que atestam insatisfação latente, pouco vocalizada, mas persistente. Em todo caso, só em outubro será possível saber se continuamos invertebrados ou se conseguiremos ter a espinha dorsal do civismo que nos permita ficar de pé.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 503 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal