Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/12/2007 - pe360graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Empresa que adulterava azeite é fechada após operação da Fazenda


A Diretoria de Fiscalização da Secretaria da Fazenda de Pernambuco anunciou, na manhã desta sexta-feira (21), o fechamento da importadora Curemas. A empresa atuava como importadora de azeites no Estado há três meses e o fechamento é resultado de uma operação envolvendo as secretarias da Fazenda de Pernambuco e da Paraíba.

De acordo com André Alexei, diretor de Fiscalização de Ações Móveis, a empresa vendia azeite importado adulterado. "O azeite vinha da Argentina. Eles misturavam com óleo de soja brasileiro e vendiam como sendo um produto italiano", afirma. Ele explica que, numa embalagem de 500ml, 470ml eram de óleo de soja e somente 30 ml eram de azeite, apesar de o rótulo indicar que o produto era feito a partir do óleo da oliveira.

Durante a operação também foram encontrados talões de notas fiscais frias, que indicam uma sonegação de impostos em torno de R$ 800 mil. O azeite falsificado era vendido em vários hipermercados do Recife. "O produto foi encaminhado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária [Anvisa] para outras análises. Sabemos que as marcas vendidas pela Curemas são Buono, Ântica Terra e Mediterrâneo", informa Alexei.

Na sede da empresa, que fica no bairro de Jardim Jordão, em Jaboatão dos Guararapes, Grande Recife, foram apreendidas ainda 20 carretas de óleo de soja - algo em torno de 540 mil litros - e mais 15 mil litros do azeite argentino. O empresário Adenilson Galdino da Silva, dono da Curemas, era investigado na Paraíba pelo mesmo crime.

"Foi graças ao apoio da Paraíba que chegamos ao acusado. Ele já havia tido um estabelecimento fechado por lá e tentou cometer a fraude aqui também", diz o diretor. O caso será encaminhado ao Ministério Público e à Delegacia de Crimes Contra a Ordem Tributária (DECOT). Com relação aos azeites, a Anvisa ainda divulgará parecer para que os produtos sejam retirados das prateleiras.

De acordo com a Secretaria da Fazenda, o dono da empresa foi intimado, mas ainda não compareceu para prestar esclarecimentos sobre as suspeitas. A equipe da Globo Nordeste não conseguiu localizar ninguém da direção da importadora para falar sobre o assunto.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 352 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal