Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS



Promoção BLACK WEEK. Até o dia 02/12 valor promocional para o Treinamento sobre Fraudes Crédito e Comércio ! CLIQUE AQUI.


Acompanhe nosso Twitter

19/12/2007 - O Globo Online / BBC Brasil Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

OCDE cobra rigor do Brasil no combate ao suborno internacional


O Brasil deveria reformar rapidamente sua legislação para que as empresas sejam diretamente responsabilizadas em casos de suborno a funcionários públicos estrangeiros, segundo recomendações da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Em relatório divulgado nesta terça-feira, a entidade analisou os esforços do Brasil para cumprir os termos da Convenção de Combate à Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais, da qual 37 países são signatários.

A OCDE conclui que o Brasil "não tomou as medidas necessárias para determinar as responsabilidades de pessoas jurídicas nos esquemas de pagamento de suborno a funcionários públicos estrangeiros" e deveria criar leis que sejam aplicadas nesses casos.

"O grupo de trabalho observa que o atual regime estatutário sobre as obrigações de pessoas jurídicas é inconsistente e, como conseqüência, as empresas não são punidas no Brasil por suborno internacional."

Ainda segundo o relatório, dois casos "potenciais" de pagamento de propinas envolvendo empresas brasileiras teriam sido identificados pela entidade durante a visita de cinco dias feita pela equipe da OCDE ao Brasil nos meses de maio e junho.

Os dois casos, mantidos em sigilo, ainda estão nos primeiros estágios da investigação, informou a entidade.

A OCDE ainda apontou que quatro investigações estão em andamento sobre o envolvimento de empresas brasileiras em irregularidades cometidas no programa da ONU Petróleo por Comida, pelo qual o antigo governo iraquiano vendia petróleo a vários países em troca de alimentos.

As irregularidades envolveriam o pagamento ilícito de sobretaxas ao governo iraquiano em troca de contratos de petróleo.

O estudo da OCDE sugere que o Brasil deveria ser mais pró-ativo em detectar, investigar e processar casos de corrupção internacional e recomenda que o país reforce as medidas de combate ao suborno nos setores público e privado.

O grupo de trabalho, no entanto, destacou aspectos positivos dos esforços do Brasil na repressão aos casos de suborno internacionais, como o uso de técnicas investigativas especiais pelas autoridades para desvendar "crimes econômicos complexos".

"Outro avanço promissor é o atual trabalho das autoridades brasileiras para ajustar o sistema de combate à lavagem de dinheiro", observa o relatório.

A OCDE estabelece que o governo brasileiro preste contas sobre suas recomendações daqui a um ano.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 245 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal