Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

27/09/2017 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Empresas são investigadas por fraude em licitações para compra de pneus no RS

Nesta quarta-feira (27), foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão. Cinco empresas são investigadas e pelo menos duas delas são da mesma família, o que é contra lei.

A Polícia investiga empresas que teriam fraudado licitações para compra de pneus. Nesta quarta-feira (27), foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, Guaíba, na Região Metropolitana, e Balneário Camboriú, em Santa Catarina.

Conforme o delegado André Lobo Anicet, cinco empresas são investigadas. Duas delas seriam da mesma família, o que não é permitido por lei. Ainda segundo o policial, as fraudes teriam ocorrido em contratos com a Secretaria Estadual de Segurança Pública e com a Guarda Municipal de Porto Alegre e com a Prefeitura de São Leopoldo, cidade do Vale do Sinos.

Os contratos, ainda segundo Anicet, estavam em vigor entre os anos de 2007 e 2013.

Foram apreendidos documentos, munições, objetos como touca ninja, entre outos, e uma pistola de uso restrito. Uma pessoa foi presa em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

O esquema foi descoberto durante um processo de separação, quando uma testemunha relatou as fraudes.

Durante pregões eletrônicos, explica Anicet, duas ou mais empresas se habilitavam e participavam simultaneamente da licitação. Segundo o delegado, em muitos casos os funcionários de empresa diferentes estavam na mesma sala, em computadores diferentes, cada um logado por uma empresa diferente, com o objetivo de que uma de suas empresas fosse a vencedora da licitação, o que é considerado fraude do caráter competitivo dos certames.

A polícia apura quanto o esquema teria movimentado. "Mas, por baixo, podemos dizer R$ 200 mil", diz o delegado.

Ao todo, 95 policiais participaram da operação.

A Secretaria Estadual da Segurança Pública esclareceu que não possui mais nenhum contrato com as empresas investigadas. Segundo a pasta, as manutenções feitas nas viaturas são feitas através de cartão funcional e por este motivo não há contrato com empresas de revenda de pneus. Os cartões funcionais também não foram utilizados para compras nessas empresas. E a Prefeitura de Porto Alegre confirmou que não possui mais nenhum contrato com as empresas investigadas.

A Prefeitura de São Leopoldo, por sua vez, informou, por meio da assessoria de imprensa, que está levantando os dados e verificando os documentos. Após esta apuração, o município se posicionará sobre o caso.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 12 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal