Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

05/08/2015 - Diário de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dólar negro e moeda de Angola são armadilhas em SP

Por: Filipe Sansone

Fique atento para não cair em golpes de larápios envolvendo dinheiro estrangeiro ou falso na capital.

Golpistas têm usado uma espécie de truque de mágica e moedas de Angola, semelhante ao real, para enganar os paulistanos mais desatentos.

No último dia 28, o nigeriano Akinyemi John Akinware, de 31 anos, foi preso, no Shopping Light, no Centro, por estelionato após tentar vender dólar negro a um contador de 53 anos.

Na ação, o contador iria entregar R$ 30 mil ao africano com a promessa de que receberia o triplo do valor em notas de dólar “tingidas propositalmente de preto para enganar a fiscalização, mas que voltariam ao normal com um processo químico”.

Akinware, inclusive, havia deixado com a vítima, como garantia, um cofre com dólares. Na verdade, segundo a polícia, no interior só havia papéis no tamanho de cédulas da moeda norte-americana, tingidos.

O contador suspeitou do golpe e chamou o Deic (Departamento de Investigações Criminais), da Polícia Civil. O falsário, que trazia consigo mais dois pacotes de papéis similares a dólares manchados, acabou solto depois de pagar fiança — o valor não foi informado.

PRESTE ATENÇÃO / O golpe da moeda angolana é mais simples. Falsários têm tentado empurrar no comércio moedas de cinco kwanzas, muito parecidas com a de R$ 1. Elas são douradas nas bordas e prateadas no centro, mas 2,5 mm menores.

Na ação, o golpista mistura os cinco kwanzas com moedas de real e os passam juntos para o comércio, que fica no prejuízo, pois a moeda angolana vale apenas R$ 0,13. Portanto quem cair no golpe vai perder R$ 0,87, isso se conseguir revender a moeda angolana.

Nas redes sociais na internet há vários grupos que alertam os desatentos sobre a moeda angolana parecida com a de real.

De acordo com a PF (Polícia Federal), que cuida dos crimes envolvendo moedas falsificadas, trata-se de um caso de estelionato. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afirmou não ter recebido queixas desse golpe.

COM 77 MIL NOTAS FALSAS, SÃO PAULO É CAMPEÃO NO PAÍS / Somente nos sete primeiros meses de 2015 foram apreendidos no estado e entregues ao Banco Central mais de R$ 5,735 milhões em dinheiro falso, o que dá uma média de cerca de

R$ 819 mil por mês. Apesar de o volume mensal ser menor do que o registrado no ano passado, os números são altos.

Segundo a Polícia Federal, até 31 de julho foram apreendidas cerca de 77 mil notas falsas nos municípios paulistas. O volume é mais que o dobro das 35.291 mil notas encontradas no Rio.

A PF recomenda que, caso a pessoa suspeite estar com uma nota falsa, não a repasse, pois pode ser enquadrada no crime de falsificação de dinheiro com pena seis meses a dois anos de detenção, além de multa. O “dinheiro” deve ser entregue à polícia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 101 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal