Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

22/03/2016 - Jornal de Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia brasileira procura portugueses em fuga

A polícia brasileira está a tentar deter três portugueses ligados a um grupo suspeito de associação criminosa e estelionato (crime semelhante à burla).

Os três cidadãos estão ligados aos 11 portugueses que se encontram detidos preventivamente no Brasil por suspeita de associação criminosa.

"Temos três mandados de prisão para serem cumpridos, e ficou demonstrado nas investigações que faziam parte do mesmo grupo", referiu Jeferson Lisboa, coordenador da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (CORF), da Polícia Civil do Distrito Federal.

A mesma fonte adiantou que existem ainda "outras pessoas que estão foragidas, que também faziam parte do mesmo grupo", mas não adiantou quantas. Para estes casos, "ainda não foram decretadas as prisões", esclareceu.

Os 11 portugueses que se encontram detidos preventivamente, por risco de fuga, "simulavam que estavam a fechar um 'stand' e a regressar à Europa".

Afirmavam que "o imposto seria muito alto para regressar com os produtos" e tentavam vender aquilo que diziam ser "mercadorias a preço de custo", segundo a polícia.

Os detidos, que podem ser condenados a uma pena de até oito anos de prisão, ofereciam produtos falsificados, como perfumes importados, blusões de cabedal e faqueiros, que, na verdade, eram comprados no Estado de São Paulo e tinham um lucro superior a 90%.

Questionado sobre se existiu algum contacto com autoridades portuguesas relativamente aos foragidos, Jeferson Lisboa respondeu que não, recusando-se a detalhar mais factos sobre o caso, sob pena de perturbar a investigação policial.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 168 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal