Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

23/11/2016 - Época Negócios Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF desarticula grupo que fraudou seguro-desemprego na Bahia em R$ 17 milhões

Quadrilha aliciava trabalhadores para ceder documentos e criava vínculos empregatícios falsos

Agentes da Polícia Federal (PF) cumprem nesta quarta-feira 31 mandados — 13 de prisão preventiva e 18 de busca e apreensão — em sete municípios na Bahia para desarticular uma organização criminosa que fraudava vínculos empregatícios para obter benefícios de seguro-desemprego e previdenciários. Os pagamentos suspeitos passam de R$ 18 milhões, sendo R$ 17 milhões em seguro-desemprego, conforme dados preliminares.

Os mandados são cumpridos nos municípios de Ipiaú, Ibirataia, Valença, Prado, Porto Seguro, Itamarajú e Santa Cruz Cabrália, todos na Bahia por cem policiais e servidores da Previdência e do MTE. As informações são da PF.

O grupo contava com técnicos em contabilidade, aliciadores e atendentes da PM há mais de dez anos. Os aliciadores recrutavam trabalhadores dispostos a ceder seus documentos, incluindo carteira de trabalho e cartão cidadão. Os técnicos em contabilidade inseriam contratos de trabalho retroativos (normalmente um ano) nas carteiras de trabalho e no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), da Previdência, para essas pessoas em empresas inativas ou constituídas em nome de "laranjas". Então, eram forjadas as rescisões dos falsos vínculos trabalhistas e requeridos os benefícios de seguro-desemprego e previdenciários. Era feito apenas o recolhimento do FGTS, que logo em seguida era sacado em razão de rescisão sem justa causa.

A investigação apurou que foram inseridos mais de seis mil vínculos empregatícios falsos em pelo menos 236 empresas utilizadas nas fraudes. Praticamente em todos os casos houve requerimento de seguro-desemprego, que foram recepcionados, em sua grande maioria, nas agências do Site Nacional de Empregos (Sine) da Bahia de Ipiaú, Itamarajú, Santa Cruz Cabrália, Prado e Valença, indicando a participação dos agentes públicos na fraude. Em levantamento preliminar, constatou-se que foram gastos mais de R$ 17 milhões em pagamentos de seguro-desemprego com suspeita de fraude; e R$ 1 milhão em benefícios previdenciários com suspeita de fraude.

As autoridades calculam que serão evitados prejuízos superiores a R$ 5 milhões para o Programa Seguro-Desemprego e de pelo menos R$ 2 milhões para a Previdência.

Deflagrada nesta manhã, a operação é conduzida em conjunto com o Ministério Público Federal, a Previdência Social, o Ministério do Trabalho (MTE) e a Polícia Militar. Foi batizada de Melaço, trocadilho com Melado, como é conhecido o principal investigado. Os presos responderão pelos crimes de organização criminosa, estelionato, inserção de dados falsos nos sistemas da administração pública e estelionato previdenciário.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 221 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal