Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

26/07/2016 - Folha de São Paulo / Agora Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Bilhete Único anônimo terá recarga suspensa em SP a partir de segunda

Por: William Cardoso


A SPTrans, o Metrô e a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) vão suspender, a partir da próxima segunda-feira (1º), a recarga do Bilhete Único nas modalidades Semanal e Diário para cartões anônimos, aqueles que não estão cadastrados no nome dos passageiros. Segundo as empresas, a intenção é evitar fraudes no sistema e a proibição será temporária. A modalidade Mensal do Bilhete Único não sofrerá alterações.

Em janeiro, o "Agora" mostrou que ambulantes vendiam por R$ 3 a passagem, de R$ 3,50 (ainda sem o aumento), na estação Celso Daniel - Santo André, da linha 10-turquesa da CPTM, no ABC. Também em janeiro, na estação Barra Funda (zona oeste), da linha 3-vermelha do Metrô, os fraudadores vendiam a passagem por R$ 4 –passageiros ficavam em fila de até 40 minutos para comprar bilhetes.

Para aplicar o golpe, os ambulantes carregam o Bilhete Único Diário, que oferece viagens ilimitadas, durante 24 horas, por R$ 16. Em seguida, eles entregam o cartão para o passageiro que o devolve logo após passar pela catraca, permitindo que seja usado depois por outra pessoa.

Em Santo André, durante o período de uma hora, o Agora flagrou ao menos 15 passageiros comprando o acesso aos trens com ambulantes na porta da estação. Já na Barra Funda, um fraudador disse que chegava a ganhar R$ 40 por dia com o esquema. Na ocasião, a reportagem encontrou ao menos oito ambulantes atuando livremente na estação.

AVALIAÇÃO

Com a suspensão da recarga, a SPTrans afirmou que pretende ampliar a "proteção tecnológica" das transações. Segundo a empresa da gestão Fernando Haddad (PT), a medida é temporária e será reavaliada no prazo de 30 dias. O Metrô e a CPTM são companhias ligadas à gestão Geraldo Alckmin (PSDB).

A SPTrans afirmou também que os créditos adquiridos até 1º de agosto serão utilizados normalmente até seu término. "Os cartões anônimos continuarão em circulação, podendo receber crédito na modalidade comum em dinheiro", afirmou, em nota, a empresa.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 273 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal