Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

30/08/2015 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Rolls-Royce diz cooperar com Justiça do país em investigação sobre propina


A Rolls-Royce anunciou que está cooperando com as autoridades brasileiras em investigação sobre suposto pagamento de propina para obter contrato com a Petrobras.

A fabricante inglesa de turbinas, que em março anunciara que não havia sido procurada, agora diz ajudar na apuração da relação com "um influente empresário brasileiro que teria pago propina a executivos da Petrobras e a autoridades em nome de contratantes".

A informação é do jornal britânico "Guardian", que estampou o caso na primeira página de sua edição desta segunda-feira (31).

O empresário seria o lobista Julio Faerman, ex-representante no Brasil da empresa holandesa SBM Offshore.

Uma porta-voz disse que a Rolls-Royce "está colaborando com oficiais brasileiros, mas não pode falar sobre investigação em andamento".

A empresa atuou com a Petrobras por mais de dez anos —o Brasil é um de seus mercados mais visados. No balanço de 2014, a Rolls-Royce revelou meta de dobrar seu faturamento no país até 2020.

O grupo declarou vendas na América Latina de 393 milhões de libras (R$ 2,16 bilhões) em 2014, de um faturamento total de 15,5 bilhões de libras (R$ 85,2 bilhões).

ACUSAÇÃO

À Operação Lava Jato, o delator Pedro Barusco, ex-gerente de engenharia da Petrobras, acusou a Rolls-Royce de dar propina, por meio de um agente, em troca de contrato para fornecer módulos de geração de energia à estatal.

Promotores na Holanda dizem já ter identificado pagamentos de Faerman a governantes brasileiros. Procurado pelo jornal inglês por meio de um representante, o empresário, que especula-se viver em Londres, não respondeu.

A Justiça da Suíça também investiga o lobista. Em março, as autoridades disseram ter congelado US$ 400 milhões (R$ 1,4 bilhão) em ativos ligados ao escândalo.

OUTROS CASOS

A acusação soma-se a investigações na Inglaterra, por suspeitas de corrupção na China e na Indonésia, e, desde 2012, nos Estados Unidos.

Desde então, a empresa criou um código de conduta e diz ter reduzido o número de intermediários no exterior.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 386 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal