Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

14/08/2015 - UOL Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Vítimas da Telexfree nos EUA recebem 1ª devolução de dinheiro, de US$ 205


Mais de 14 mil vítimas da Telexfree no Estado de Massachusetts, incluindo muitos imigrantes brasileiros, receberam nesta semana um reembolso de US$ 205,52 cada (cerca de R$ 715,85), segundo informações do jornal norte-americano "Boston Globe".

É a primeira vez que eles recebem algum dinheiro de volta desde o início das investigações nos EUA, no ano passado.

O dinheiro corresponde a apenas uma parte das perdas, afirmou o secretário de Estado de Massachusetts, William Galvin, ao jornal. "Muitas pessoas não esperavam receber nada nunca mais", disse. "Estou grato que conseguimos reaver algo para essas vítimas."

No total, as vítimas de Massachusetts receberam US$ 2,9 milhões, como parte de um acordo de US$ 3,5 milhões feito com o banco Fitchburg, ligado ao caso.

A Telexfree vende planos de minutos de telefonia pela internet (VoIP). No Brasil, é investigada por suspeita de pirâmide financeira e está com as atividades suspensas há dois anos. Nos EUA, foi formalmente acusada.

Com promessas de grande retorno em pouco tempo, os esquemas de pirâmide financeira são considerados ilegais porque só são vantajosos enquanto atraem novos investidores. Assim que os aplicadores param de entrar, o esquema não tem como cobrir os retornos prometidos e entra em colapso.

A Ympactus, que representa a Telexfree no Brasil, nega a acusação e afirma que trabalha com "marketing multinível".

Processos na Justiça e laudo questionado

Há processos contra a Ympactus e a Telexfree correndo em vários Estados brasileiros.

Somente no Acre, cerca 70 mil pessoas aderiram ao negócio, segundo estimativa do Ministério Público Estadual (MPE/AC). Isso significa que, de cada dez moradores do Acre, um virou divulgador da Telexfree.

Em julho do ano passado, a Justiça bloqueou os bens dos donos da empresa no Espírito Santo.

Em janeiro deste ano, o Ministério Público Federal do Espírito Santo denunciou os sócios-administradores da Telexfree no Brasil, Carlos Roberto Costa e Carlos Nataniel Wanzeler, pelo desenvolvimento de atividades clandestinas de telecomunicações no país.

Em fevereiro, a empresa de consultoria Ernst & Young apresentou à Justiça uma perícia independente sobre as atividades da Ympactus. Agora, a Ympactus pede que a consultoria seja afastada do caso, e que outra empresa independente seja contratada para produzir o laudo.

Processos nos EUA

A empresa foi formalmente acusada nos EUA de atuar sob um esquema de pirâmide financeira, com foco em imigrantes brasileiros e dominicanos nos EUA, e teve seus bens bloqueados. O esquema teria movimentado US$ 1,1 bilhão no mundo, segundo a acusação.

Nos EUA, um dos seus fundadores, o norte-americano James Merrill, foi preso em Massachusetts (sede da Telexfree nos EUA) e encontra-se em prisão domiciliar, acusado de comandar o esquema ao lado do brasileiro Carlos Wanzeler.

Wanzeler que morava em Massachusetts está no Brasil, segundo seu advogado, e é considerado foragido nos EUA.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 363 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal