Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

08/05/2006 - CorreioWeb / FolhaNews Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-prefeito de Ribeirão Preto é indiciado por quatro crimes


O ex-prefeito de Ribeirão Preto Gilberto Maggioni foi indiciado pela Polícia Civil pelos crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, peculato e falsidade ideológica. Ele depôs nesta segunda-feira para o delegado seccional de Ribeirão Preto, Benedito Antônio Valencise, no inquérito que apura irregularidades no contrato de lixo e limpeza pública assinado durante o governo de Antonio Palocci na Prefeitura de Ribeirão Preto.

No final de abril, Palocci foi indiciado por esses mesmos crimes. Rogério Buratti, ex-secretário de Governo de Palocci e ex-vice-presidente do grupo Leão, acusou Palocci de ter recebido R$ 50 mil mensais de propina da empreiteira.

Esse pagamento, na versão de Buratti, ocorreu entre 2001 e 2002, com Palocci, e continuou até 2004, com Maggioni - que era vice-prefeito e sucedeu Palocci na prefeitura.

Segundo Valencise, Maggioni negou ter conhecimento do esquema irregular de contratação de empresas para varrição de ruas. "Negar, ele negou. Mas o envolvimento dele nesse esquema é evidente." Maggioni, de acordo com o delegado, disse que quando assumiu a prefeitura já havia uma empresa contratada para cuidar da limpeza da cidade. "Ele disse que que quem cuidava disso era o Daerp (Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto)", afirmou Valencise.

Segundo o delegado, Maggioni disse que não mudou a superintendência do Daerp, que na época estava sob os cuidados de Isabel Bordini, a pedido do PT. "Ele [Maggioni] afirmou que não mudou certas pessoas porque atendia ao pedido de um partido político, do PT".

Na semana passada, Valencise indiciou o ex-chefe da Casa Civil da prefeitura de Ribeirão Preto, Nelson Collela, por quatro crimes. Collela foi apontado por Buratti como o emissário da propina de R$ 50 mil da empresa Leão Leão ao então prefeito Maggioni.

Até agora, quatro pessoas já foram indiciadas no inquérito: Maggioni, Palocci, Collela e Luciana Alecrim.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 466 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal