Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

10/06/2015 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Acordo de leniência é "salto no escuro"

Por: Frederico Vasconcelos


O ministro Benjamin Zymler, do Tribunal de Contas da União (TCU), avalia que as empresas denunciadas por atos de corrupção contra a administração pública não têm segurança jurídica para aderir aos acordos de leniência previstos na Lei Anticorrupção.

Em seminário promovido pela Procuradoria Regional da República da 3ª Região (PRR3), o ministro do TCU apontou os pontos críticos da lei criada para punir empresas envolvidas em atos de corrupção contra a administração pública.

Há, segundo Zymler, choque de atribuições entre o TCU e a Controladoria Geral da União (CGU), à qual cabe, pela lei, firmar os acordos de leniência com as empresas denunciadas por corrupção. Os poderes da CGU para condução desses acordos, na sua avaliação, ultrapassam os limites previstos na Constituição, informa a PRR3.

Para o ministro, a adesão ao acordo não oferece qualquer segurança jurídica às empresas, pois estas podem ser responsabilizadas em outras instâncias, como pelo Ministério Público Federal (MPF) ou pelo TCU. “É um salto no escuro, com pouquíssimas chances de sucesso”, disse.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 803 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal