Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

25/04/2014 - Correio Braziliense Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Megaoperação desarticula quadrilha especializada em fraude de boletos

Por: Kelly Almeida

Bando agia há mais de seis meses, no DF e em outros estados.

Policiais civis realizam, na manhã desta sexta-feira (25/4), uma megaoperação para desarticular uma quadrilha especializada em fraudar boletos bancários. O grupo agia no Distrito Federal e em outros estados há mais de seis meses. Os agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf) cumprem 14 mandados de busca e apreensão. Pelo menos nove pessoas já foram presas, sendo cinco em Brasília e quatro em Goiânia.

Segundo a polícia, o grupo agia há pelo menos um ano e era monitorado há seis meses. O lucro com o crime ainda não foi contabilizado pelos policiais, mas a estimativa é de que eles lucravam, pelo menos, R$ 100 mil por semana. “Em uma semana, detectamos que fraudaram mais de 300 boletos. Os valores variavam entre R$ 500 e R$ 1,5 mil. Não conseguiram desviar o dinheiro em todos, mas tinham o lucro alto”, explica o chefe da Corf, Jefferson Lisboa.

Entre os presos, está um dos líderes do grupo. Eduardo Gomes foi preso em Taguatinga. Na casa dele, os policiais também apreenderam anabolizantes. Os presos vão responder por organização criminosa, estelionato e falsificação de documentos. Eduardo ainda vai responder por estar com os anabolizantes.

Segundo o delegado Lisboa, até o momento, a polícia detectou que os suspeitos agiam no DF, em Goiás e em Minas Gerais. "Mas a investigação demonstrou que as vítimas são de todo o país. O material que apreendemos vai ajudar a descobrir a abrangência dessa organização criminosa. As prisões não acabam com as investigações. Pelo contrário, elas continuam", garante o investigador.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 296 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal