Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

18/02/2014 - Cenário MT / Gazeta Digital Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Advogados presos por fraudes de R$ 13 mi no Bemat ganham liberdade


Já estão em liberdade os advogados presos pela Polícia Federal, em Cuiabá, sob acusação de crimes por desvio de recursos do Instituto de Previdência Complementar, do extinto Banco do Estado de Mato Grosso (Bemat), e lavagem de dinheiro. Acusados de desviarem pelo menos R$ 13 milhões, eles foram soltos no final de semana por força de um alvará de soltura obtido pela defesa junto à Justiça Federal.

Os mandados de prisão provisória (por 5 dias) foram cumpridos na manhã de quinta-feira (13). A defesa dos acusados não comenta o caso afirmando que está sob sigilo judicial e que existem e que o caso é “muito complexo”. Os advogados já tinham sido indiciados pela Polícia em 2013 e denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF). São réus numa ação civil pública que tramita na Justiça Federal por ato de improbidade administrativa em que o MPF pede a devolução do dinheiro.

Responsável pela defesa disse que não comentaria qualquer informação sobre o caso. Contudo, confirmou que se encontrou com o cliente nesta segunda-feira (17) e justificou que os mandados de prisão eram de apenas 5 dias e que portanto, terminariam nesta segunda.

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT) abriu um procedimento interno para investigar os 2 juristas. Contudo, o presidente da Ordem, Maurício Aude disse que até o momento eles não se manifestarem nos autos, internamente no Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem. Reconheceu que muito pouco tempo se passou desde o dia da prisão e que essa defesa ainda irá ocorrer.

Entenda o caso:

Conforme a Polícia Federal, os advogados pretendiam desviar R$ 48 milhões do banco. O valor é referente a 60% dos R$ 85 milhões, divididos em 18 parcelas, que seriam pagos pelo Estado em decorrência de uma dívida com ex-funcionários do Bemat. O desvio ocorreria mediante a cobrança de honorários advocatícios, acima do valor de mercado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 200 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal