Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

19/02/2014 - Expresso MT Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Vítima de fraude, doméstica de MT descobre que tem empresa em SP

Mulher foi procurada no endereço da avó há dois meses por dívida. Dívida no nome da empregada chega aproximadamente em R$ 40 mil.

Um empregada doméstica que mora no Bairro Nova Fronteira, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, foi vítima de uma fraude. O CPF de Claudiane Vanessa de Almeida foi usado para a abertura de uma empresa no estado de São Paulo. Ela descobriu há dois meses que é sócia de uma empresa de distribuidora de peças, porque um oficial de justiça a procurou no endereço da avó.

O endereço está registrado na Vara do Trabalho de São Paulo como uma filial da firma. A dívida no nome da empregada chega aproximadamente em R$ 40 mil. “Não me lembro de ter passado nada para ninguém. Moro em uma casa alugada com o meu marido e minhas duas filhas. Não tem como ter uma empresa em meu nome”, avaliou.

A firma foi aberta em 1998, mas a entrada como sócia da empregada na empresa foi registrada somente no dia 13 de novembro de 2005. “Na época, tinha somente a identidade, título de eleitor e carteira de trabalho. O CPF fiz somente em 2007”, contou. Ela já procurou a Defensoria Pública do Estado, porém, não conseguiu resolver a situação porque o processo corre em São Paulo e não em Mato Grosso.

O presidente da Comissão de Direito Civil da Ordem dos Advogados (OAB), Ricardo Neves, explicou que em situações como essa, a vítima deve ir até o local de origem do processo. “Ela deve se manifestar no local de origem do processo, porque é a única forma para pedir a inexistência desse negócio jurídico que foi realizado em nome dela por terceiro estelionatário”, afirmou.

Segundo a delegada da Receita Federal, Marcela Matos, quando houver suspeita de alguma irregularidade no uso do CPF o contribuinte deve registrar um boletim de ocorrência. "Assim como no caso de perda ou furto também deve registrar um BO para que a receita federal tomem as providências cabíveis", informou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 191 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal