Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/12/2007 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF prende 36 acusados de fraudar IR em Alagoas; ex-governador é detido


A Polícia Federal prendeu 36 pessoas -três delas em flagrante- acusadas de integrar uma organização criminosa instalada na Assembléia Legislativa do Estado de Alagoas. O grupo é acusado de fraudar o IR (Imposto de Renda) em até R$ 200 milhões em cinco anos. Entre os presos estão um deputado, ex-parlamentares, assessores, auditores da Receita, funcionários da Assembléia e um ex-governador.

Da chamada Operação Taturana -referência à lagarta que come folhas sem parar durante sua existência- participam 370 policiais federais, que cumprem pelo mais de 79 mandados de busca e apreensão e 40 mandados de prisão, autorizados pela Desembargadora Federal do Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

Entre os presos estão o deputado Cícero Ferro (PMN), detido em flagrante por porte ilegal de armas; Flávio Jatobá (PTB), genro de Ferro e prefeito de Roteiro; Celso Luis Nailton, ex-presidente da Assembléia e ex-deputado; Nailton Felizardo, ex-deputado e tesoureiro da Assembléia legislativa de Alagoas; Rafael Albuquerque, irmão do presidente da Assembléia de Alagoas; Daniela Moreira Silva Dório, secretária de Antônio Albuquerque; e o ex-governador do Estado Manoel Gomes de Barros. Assessores de deputados da Casa também foram detidos, além de um ex-comandante da PM (Polícia Militar) do Estado.

O atual presidente da Assembléia Legislativa de Alagoas, deputado Antonio Albuquerque (DEM), compareceu à Polícia Federal para prestar depoimento, mas não foi preso. A Casa ainda não se manifestou sobre a operação.

Após realizarem exames de corpo de delito, os presos foram conduzidos à Superintendência de Polícia Federal em Alagoas, em Maceió, onde serão ouvidos. As acusações são de peculato (utilizar-se do cargo exercido para apropriação ilegal de dinheiro), estelionato contra a administração pública federal, fraude e lavagem de dinheiro.

A PF confirmou ainda buscas nas casas de nove deputados estaduais -cujos nomes não foram divulgados-, com apreensão de documentos, computadores, equipamentos eletrônicos e carros. As contas deles foram bloqueadas.

Esquema

Segundo a PF, a quadrilha se apropriava de recursos da casa através de sua folha de pagamentos, com a inclusão de funcionários fantasmas e laranjas. Os envolvidos também declaravam à Receita Federal retenções de imposto de renda em valores superiores aos efetivamente retidos, além de se beneficiarem das restituições do IR feitas aos falsos funcionários.

A operação de hoje é resultado de um ano e seis meses de investigação, que contou com a colaboração da Receita Federal, Banco Central, Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) e Ministério Público Federal.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 289 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal