Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

11/02/2014 - UOL Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

HSBC é condenado em R$ 67,5 mi por espionar funcionários em licença médica

Por: Osny Tavares


O Banco HSBC foi condenado pela 8ª Vara do Trabalho de Curitiba a pagar uma indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 67,5 milhões por espionar funcionários afastados por motivos de saúde.

A decisão é em primeira instância e cabe recurso. Se pago, o valor será revertido ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

Contatado pelo UOL, o HSBC informou, por meio de sua assessoria de comunicação, que não comentará o caso.

A acusação, feita pelo Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Curitiba e Região, conseguiu provar que a instituição contratou uma empresa de investigação para obter dados pessoais de trabalhadores afastados.

Investigadores disfarçados de carteiro e entregador de flores que invadiam as residências, filmavam o interior das casas e vasculhavam o lixo.

O objetivo, segundo o sindicato, era comprovar fraudes no afastamento por doença.

O caso foi revelado em 2012, quando o Sindicato dos Bancários de Curitiba, sede nacional do HSBC, recebeu um dossiê anônimo contendo as informações coletadas pela empresa CIE (Centro de Inteligência Empresarial).

Doze pessoas confirmaram ao MPT (Ministério Público do Trabalho) do Paraná ter reconhecido informações pessoais nos documentos, como descrições sobre a rotina diária.

No total, o dossiê trazia informações sobre 154 funcionários do HSBC nos Estados de Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As espionagens ocorreram entre 1999 e 2003.

O sindicato desconhece que algum funcionário tenha sido legalmente denunciado ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) por suposta fraude no benefício.

Há casos, porém, em que colaboradores teriam passado a sofrer represálias ao voltar às atividades ou teriam sido demitidos poucos meses após o fim da licença.

"Temos a suspeita de que o banco tentava interferir de alguma forma na concessão dos benefícios. Mas isso precisaria de mais investigação", afirma o assessor jurídico do Sindicato, Nasser Ahmad Allan.

Segundo ele, as provas não poderiam ser utilizadas legalmente porque invadem a privacidade dos funcionários.

Em ação paralela, cuja decisão foi proferida em outubro do ano passado, o HSBC havia sido condenado pelo Tribunal Superior do Trabalho a pagar R$ 500 mil por não emitir Comunicação de Acidente do Trabalho e dispensar empregados diagnosticados ou com suspeita de Ler/Dort (Lesão por Esforço Repetitivo/Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho).

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 154 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal