Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

07/02/2014 - AtibaiaNews Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Preso em Atibaia, golpista que fazia empréstimos em nome de aposentados do INSS

Por: Adriana Carvalho

Estelionatário foi flagrado pelo delegado Hermes Jun Nakashima e pelo escrivão Erik Tonon quando sacaria R$ 26 mil em nome de um pensionista. O RG falso apresentado no momento do saque foi o elo para desvendar o golpe.

Domingos Dias Santos, de 61 anos, foi preso em flagrante na tarde de quinta-feira (7), acusado de uso de documento falso; falsidade ideológica e estelionato. Desde o final de janeiro ele estava em negociação pela aprovação de um empréstimo no Santander, por meio do benefício do INSS de outra pessoa.

O crédito chegou a ser liberado pela financeira que presta serviços para o banco, mas no momento do saque, o RG apresentado por Domingos chamou a atenção do caixa do banco que acionou a Polícia Civil.

Levado para a Delegacia de Polícia, Domingos contou que ganharia R$ 2 mil de comissão e que teria feito a transação por meio de uma mulher que ele mal conhece.

A história não convenceu a polícia. Domingos já respondeu pelo mesmo crime e inclusive esteve na cadeira, em 2012, também por ter feito empréstimo em nome de um outro aposentado. Ele foi levado para a cadeia de Piracaia e ficará à disposição da Justiça.

AÇÃO

Crédito Consignado. Esse é o nome de uma transação bancária comum. Trata-se de empréstimo, cujo crédito é concedido tanto aos clientes quanto beneficiários (aposentados e pensionistas) do Instituto Nacional de Securidade Social, o INSS.

Para este tipo de crédito, o pagamento das mensalidades é descontado diretamente do salário ou do benefício de quem o requisita às instituições bancárias. Como regra do Banco Central do Brasil, o limite de comprometimento nos vencimentos da pessoa é de até 30% .

No caso dos aposentados, basta apresentar o número do benefício e documentos pessoais. Após análise, o banco libera ou não o crédito solicitado.

No caso de Domingos, ele veio parar na financeira que trabalha para o Santander em Atibaia, indicado por uma mulher que, no final de dezembro, também fez um empréstimo usando o benefício de outra pessoa. Crime descoberto só agora.

Segundo relatos das testemunhas à polícia, no dia 25 de janeiro, Domingos esteve na PoupaCred e apresentou os documentos solicitados pela empresa.

O verdadeiro beneficiário do INSS por quem Domingos se passou, recebe benefício de R$ 2 mil mensais e não registrava nenhum desconto. O crédito foi então concedido.

No entanto, devido a um erro na formalização do contrato, Domingos retornou à cidade no dia 30 de janeiro para refazer o contrato com a financeira. A liberação aconteceria dia 5, mas Domingos chegou na cidade fora do horário de expediente bancário e acabou não levando o dinheiro.

Na quinta-feira (6), por volta das 15h30, Domingos foi ao Santander para sacar os R$26 mil. Com o empréstimo já aprovado, o procedimento seria simples. Apenas apresentar o RG e o número do contrato de empréstimo consignado no caixa.

Mas o RG falsificado chamou a atenção. Acionados, o delegado Hermes Jun Nakashima e o escrivão Erik Tonon seguiram para a agência bancária. E prenderam o farsante.

Além do RG em nome do verdadeiro beneficiário do INSS – Benedito Gomes, Domingos carregava um segundo documento falso no bolso, em nome de um terceiro.

A polícia acredita que Domingos integra uma quadrilha que age a partir de informações sobre beneficiários do INSS que tem margem nos recebimentos para o levantamento de empréstimos.

As investigações da polícia seguem no sentido de identificar a mulher que se apresentou como Selma e que conseguiu um crédito no valor de R$ 19,7 mil do Santander.

A verdadeira pensionista já entrou em contato com a PoupaCred e deve ter o contrato fraudulentamente formalizado por outra pessoa, cancelado pelo banco. A única parcela já descontada do benefício, deve ser ressarcida a aposentada.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 159 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal