Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

11/12/2013 - O Tempo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Prefeito é indiciado por suposta fraude em processo licitatório

Por: Carolina Caetano

Denúncia partiu de vereadores de Viçosa; inquérito foi encaminhado ao Tribunal de Justiça; político não foi localizado para comentar o caso.

Uma possível fraude em um processo licitatório para a contratação de uma empresa que seria responsável por fazer o projeto da construção da Usina de Resíduos Sólidos de Viçosa, na zona da mata mineira, fez com o prefeito da cidade, Celiton Francisco Sari, e outros funcionários do Executivo fossem indiciados pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG).
Veja Também Funcionários públicos de Monte Carmelo são presos por fraude Mais
A decisão foi tomada após uma denúncia feita pela Câmara Municipal da cidade. No documento enviado ao MP/MG, os vereadores afirmaram que há irregularidades desde o começo do projeto.

“A prefeitura optou pela modalidade carta-convite, que deveria ter, no mínimo, três participantes, mas apenas a Sarsan Engenharia e Saneamento LTDA foi convidada para apresentar a proposta”, explicou a chefe Núcleo de Combate Crimes Praticados por Políticos Municipais de Belo Horizonte, Karen de Paula Lopes, delegada chefe do Núcleo de Combate aos Crimes Praticados por Agentes Municipais.

Devido ao embate, o projeto, que substituiria o aterro sanitário usado atualmente na cidade e para o qual foi feito um empréstimo de mais de R$ 5 milhões junto ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), foi suspenso temporariamente.

Ainda de acordo com a delegada, existe a possibilidade de um conluio entre a empresa e a comissão de licitação. “Antes mesmo de ter sido feito o pedido de licitação, a empresa já sabia e, sem concorrente, pode ter sido beneficiada”, contou Karen.

O inquérito já foi encaminhado ao Tribunal de Justiça e, se condenados, os envolvidos podem pegar de dois a quatro anos de prisão.

A reportagem de O TEMPO tentou contato com o prefeito, mas ele não foi localizado para esclarecimentos. Já a empresa Sarsan informou, por meio de sua representante, que não iria se manifestar sobre o assunto.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 174 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal