Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

28/11/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Técnicos da USP analisam asfalto para apurar fraudes em Monte Alto

Testes foram solicitados por CPI sobre irregularidades em licitações. Engenheiro diz que espessura de asfalto é menor que prevista em edital.

Especialistas da USP de São Carlos (SP) visitaram Monte Alto (SP) nesta quinta-feira (28) para uma primeira avaliação sobre as condições do asfalto das ruas da cidade. As análises, que preveem ensaios em laboratório, foram solicitadas por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada em outubro pela Câmara para investigar supostas fraudes em licitações para recapeamento e pavimentação no município.

Em abril, a Prefeitura de Monte Alto foi fechada para obtenção de documentos em meio a uma operação realizada pelo Ministério Público para apurar fraudes de uma empreiteira em 79 cidades do interior do Estado. A prefeita Silvia Aparecida Meira (PTB) informou que somente comentará o assunto após a conclusão da CPI.

Os técnicos do departamento de engenharia de transportes da USP fizeram uma primeira avaliação nesta quinta-feira para verificar em que pontos da cidade serão recolhidas as amostras de asfalto que serão utilizadas para análises em laboratório. Além da espessura mínima de três centímetros do asfalto, será avaliada a qualidade do material que pavimenta as ruas do município. Os especialistas também tiveram acesso a mapas e a contratos de asfaltamento para confrontar os dados.

“Vamos verificar os locais em que houve obra de recapeamento e obra de construção de pavimentos novos, verificar os problemas que estão ocorrendo, qual é a abrangência, qual é a uniformidade para definir os pontos de coleta de amostras para ensaios de laboratório”, afirmou o professor do departamento de engenharia de transportes da USP de São Carlos, José Leomar Fernandes Júnior.

Segundo o professor, a previsão é de que em um mês as análises sejam concluídas. A “coleta está prevista para a próxima semana. Mais duas semanas de ensaios de laboratório e uma semana para o laudo. Os resultados vão saindo, mas há ensaios que não há como agilizar. Tem todo um processo de laboratório que tem que esperar.”

Em um primeiro momento, ele confirma ter percebido que, em algumas ruas da cidade, a espessura do asfalto é inferior a três centímetros – medida especificada em contrato -, bem como foi possível recolher pedaços de asfalto soltos. “Nos editais está prevista espessura de três centímetros após compactação. Dá para perceber que tem pouco mais de um centímetro. É evidente com relação à espessura, é algo que não tem como questionar”, disse.

CPI do Asfalto

Segundo Washington Rocha de Carvalho, assessor jurídico da Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada em Monte Alto, os dados da USP ajudarão o comitê a confirmar se houve alterações irregulares nos contratos para pavimentação na cidade. “O trabalho que está sendo feito pela CPI tanto no aspecto jurídico quanto no aspecto da engenharia vai nos trazer subsídios para chegarmos a uma conclusão”, afirmou o advogado, que anteriormente havia confirmado ter encontrado indícios de irregularidades em contratos da administração municipal analisados pelos vereadores, como falhas quanto à eliminação de empresas nas concorrências públicas.

A CPI do Asfalto foi instaurada em outubro pela Câmara de Monte Alto para investigar um suposto esquema de fraude em licitações para serviços de recapeamento no município. Desde setembro, vereadores analisam 12 mil documentos que deram origem a contratos de serviço com a atual administração e com a administração anterior.

As investigações começaram após uma operação do Ministério Público descobrir o envolvimento de uma empreiteira que estaria manipulando licitações em 79 cidades do interior paulista. No total, 13 mandados de prisão e 160 mandados de busca e apreensão contra empresários e políticos já foram cumpridos. O município de Monte Alto é um dos alvos da investigação. Em abril deste ano, policiais militares e promotores fecharam a Prefeitura em busca de documentos referentes ao caso.

Prefeitura

A prefeita Silvia Meira, que anteriormente, havia afirmado que não tinha identificado nenhum tipo de irregularidade em 22 contratos firmados em sua gestão, informou que somente voltará a se pronunciar após a entrega do relatório da CPI.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 229 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal