Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

04/12/2007 - O Estado de São Paulo / Ag. Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Crescem as fraudes com clonagem

Por: Angela Crespo


Só no primeiro semestre deste ano, a Fundação Procon-SP registrou 943 reclamações de consumidores que tiveram o cartão de crédito clonado ou receberam cobranças indevidas na fatura. O número é cerca de 43% superior ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas 661 reclamações.
Na maioria dos casos, as cobranças estão relacionadas a compras feitas com cartões clonados. “Atualmente, a clonagem representa 70% do total das fraudes cometidas contra cartão de crédito. Mas há outra fraudes, como de cartão perdido ou roubado, extravio e falsidade ideológica (quando alguém adquire um cartão verdadeiro em nome do outro)”, explica Eduardo Daghun, especialista e diretor da Oros, empresa de controle e prevenção a fraudes em meios eletrônicos de pagamento.
Há mais de um ano Andrea Spinelli de Assis Guilherme teve seu cartão ibiCard clonado e não conseguiu resolver a situação. “Assustei-me quando vi na fatura R$ 3 mil gastos em 17 compras em farmácias, postos de gasolina e supermercados de Piracicaba (SP). A última vez que eu estive na cidade foi há mais de seis anos”, conta.
Ela solicitou o bloqueio do cartão e fez Boletim de Ocorrência, mesmo assim foram feitas outras 9 compras em Piracicaba. Andrea passou por todo o processo da administradora para comprovar que os gastos não eram seus, escrevendo 9 cartas de próprio punho. “Continuam me cobrando. Ligam e dizem que posso pagar em 10 vezes”, conta.A Ouvidoria do Banco Ibi informa que o processo foi analisado e concluído, regularizando a situação de Andrea.
Kássia Correa, advogada da Associação Nacional dos Usuários de Cartão de Crédito (Anucc), diz que o consumidor não deve pagar. “Segundo o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor, os bancos e as administradoras estão obrigados a ressarcir o prejuízo no caso de fraude. E o consumidor pode recorrer ao Judiciário. “O procedimento leva uns dois meses. Mas é preciso cuidado, pois, se comprovado que os gastos são do cliente, a cobrança é feita com juros”, afirma.

Cuidados para não ser vítima

Na hora de receber o envelope com o cartão, via correios ou empresa de transporte, não aceite se o documento estiver violado. Sempre assine no espaço
reservado atrás do cartão.

Verifique, rotineiramente, os lançamentos das compras
efetuadas em sua fatura.
A maioria das administradores oferece este serviço pela internet.

No ato da compra não perca de vista o seu cartão. Cuidado com esbarrões ou encontros acidentais. Se isso ocorrer, verifique se o que está em suas mãos é o seu.

No caixa eletrônico, em caso de retenção do cartão na máquina, não digite a senha novamente. Aperte as teclas “anula” e “ ancela” e comunique o banco. Não abandone o caixa antes de seguir as instruções da
instituição financeira.

Nunca digite sua senha em telefones públicos ou que “
salvem” os números. Se receber alguma ligação telefônica de alguém dizendo que é funcionário do banco pedindo sua senha, não digite e contate a instituição ou a operadora do cartão.

Usaram meu cartão. E agora?

Ao perceber que foi vítima de alguma fraude comunique à administradora, anotando o horário, o nome do atendente e o número do protocolo de atendimento.

Depois, vá à polícia e registre Boletim de Ocorrência.

Caso a empresa não entre em acordo, abra processo no Procon ou na Justiça, solicitando a reversão do ônus da prova. A partir daí, a empresa é que vai ter de provar que o consumidor é quem fez as compras.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 296 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal