Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

28/11/2013 - Tribuna Hoje Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Suspeito de fraude, presidente da Câmara de Cuiabá é afastado

João Emanuel Moreira Lima é acusado de irregularidades em licitações e compra de sentenças judiciais.

Agentes do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumprem nesta quinta-feira (28) oito mandados de busca e apreensão com vistas a desarticular um suposto esquema de desvio de dinheiro público por meio de fraudes em licitações da Câmara de Vereadores de Cuiabá. Foram apreendidos documentos, computadores e outros materiais no Legislativo e em quatro residências, entre elas a do presidente da Câmara, João Emanuel Moreira Lima (PSD). Também houve buscas em um Cartório de Serviço Notarial de Várzea Grande, região metropolitana na capital, em uma gráfica e em um escritório de contabilidade.

João Emanuel negou qualquer irregularidade nos processos licitatórios da Câmara e disse estar à disposição do Gaeco para contribuir com as investigações.

O parlamentar, de acordo com o Ministério Público Estadual (MPE), teria participação na falsificação de documentos de terrenos, que seriam usados como garantia a agiotas para obter dinheiro a ser usado na futura campanha do parlamentar a deputado estadual nas próximas eleições. Conforme o MPE, os terrenos seriam pagos com a garantia de participação em processos licitatórios fraudulentos no Legislativo. A operação foi batizada de Aprendiz.

Além disso, o MPE pediu e a Justiça determinou nesta quarta-feira (27) o afastamento João Emanuel da presidência da Câmara Municipal. A ideia é que as investigações não venham a ser prejudicadas. "Certamente o afastamento de João Emanuel da presidência da Câmara irá contribuir com as investigações, permitindo que documentos sejam localizados e testemunhas sejam ouvidas sem o constrangimento de estarem prestando declarações contra a chefia”, diz um trecho da decisão da magistrada Selma Rosane Santos de Arruda, da Vara Especializada Contra o Crime Organizado.

A defesa de João Emanuel informou que deve ingressar com recurso na Justiça para que o vereador seja reconduzido ao cargo de presidente do Legislativo.

Venda de sentença

João Emanuel também é acusado de suposto envolvimento em um esquema de venda de sentença judicial. Ele e mais nove pessoas são suspeitas de tentar comprar decisões judiciais, no valor de R$ 1 milhão, para que fosse colocada em liberdade uma família presa por acusação de tráfico de drogas. Ele chegou a ser afastado da presidência da Câmara, mas depois retornou por meio de liminar. A operação chamada de Assepsia foi deflagrada em abril deste ano.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 100 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal