Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


AFD SUMMIT

A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

26/11/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dona de escritório e servidora são presas pela PF por fraude no INSS

Polícia Federal estima que quadrilha gerou um prejuízo de R$ 1,4 milhão. Operação cumpriu mandados em Piracicaba e Capivari nesta terça-feira.

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã desta terça-feira (26) duas mulheres suspeitas de integrar uma quadrilha que fraudava a Previdência Social na região. Uma delas é proprietária de um escritório de assessoria previdenciária em Piracicaba (SP) e a outra é servidora do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Capivari (SP). A quadrilha intermediava a liberação irregular de salário-maternidade. As prisões ocorreram dentro da Operação Ceres, realizada em conjunto por agentes de Piracicaba e Campinas (SP).

Foram cumpridos estes dois mandados de prisão e mais cinco mandados de busca e apreensão de documentos nesta terça-feira. As duas suspeitas serão indiciadas pelos crimes de estelionato e formação de quadrilha. De acordo com a apuração da Polícia Federal, as atividades da quadrilha geraram prejuízo de ao menos R$ 1,4 milhão aos cofres públicos.

Os mandados de busca resultaram na apreensão de diversas pastas de documentos no escritório da suspeita.

A PF abriu inquérito em setembro de 2012 após receber relatórios da gerência executiva do INSS em Piracicaba que apontava a atuação da quadrilha em Capivari. A ação do grupo, conforme o relatório, ocorria na intermediação fraudulenta do pagamento de benefícios do salário-maternidade.

De acordo o delegado da PF em Piracicaba, Carlos Lopes Abelha, a proprietária do escritório, que tem registro como estagiária de direito na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), requeria os benefícios inserindo vínculos empregatícios falsos nas carteiras de trabalho dos clientes e recebia os benefícios pessoalmente, uma vez que os integrantes da quadrilha se cadastravam como administradores provisórios dos clientes.

A inserção dos dados falsos nos sistemas da Previdência Social era feita pela servidora pública lotada no INSS de Capivari. Ainda segundo o delegado, ainda que não conheçam os trâmites fraudulentos, os segurados do escritório da indiciada acabavam participando do esquema, pois sabiam da irregularidade e não a denunciavam.

A proprietária do escritório está em prisão preventiva e aguarda transferência para uma unidade prisional da região. "Ela preferiu falar somente em juízo alegando que precisa se inteirar melhor das acusações", disse Abelha.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 133 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal